Busca

Vatican News
Durante o Regina Coeli de 25 de abril, quando religiosas rezavam junto com o Papa na Praça São Pedro Durante o Regina Coeli de 25 de abril, quando religiosas rezavam junto com o Papa na Praça São Pedro 

Filipinas: bispos convocam este domingo como dia de oração por Mianmar

A Igreja em Milão, na Itália, também neste sábado (29) convocou a comunidade pela paz naquela país. Neste domingo (30), de Solenidade da Santíssima Trindades, os bispos das Filipinas convocam os fiéis para que rezem em comunidade pelo fim da crise em Mianmar: "peçamos ao Senhor que acabe com esta espiral de violência no país e que todas as pessoas envolvidas sejam mobilizadas pela construção da paz".

Manoel Tavares - Vatican News

O presidente da Conferência Episcopal das Filipinas, dom Romulo Valles, faz um convite, através do site do Episcopado local, para todas as dioceses das Filipinas para que se reúnam em comunidade neste domingo (30/5) para rezar por Mianmar. O purpurado explicou que todos devem participar deste dia de oração "pelo povo sofredor de Mianmar e a sua Igreja", um dia que coincide com a solenidade da Santíssima Trindade:

“Peçamos ao Senhor que acabe com esta espiral de violência no país e que todas as pessoas envolvidas sejam mobilizadas pela construção da paz.”

O convite do arcebispo foi feito depois que quatro pessoas foram mortas por se refugiarem em uma igreja, além de muitas outras feridas em combates na parte oriental do país do sudeste asiático. A Igreja do Sagrado Coração, em Kayanthayar, perto de Loikaw, também foi seriamente danificada pelo ataque, em 23 de maio, Domingo de Pentecostes.

A Conferência Episcopal das Filipinas enviou uma carta ao cardeal Charles Maung Bo, de Yangon, que assegurou orações e solidariedade ao povo de Mianmar nestes "tempos difíceis". Nos últimos dias, o cardeal também fez um premente apelo pelo fim da violência no país, devido à exacerbação do conflito entre o exército e as forças, que se opõem ao governo militar: “tudo isso deve acabar. Suplicamos para que acabem com esta guerra".

Por sua vez, o Papa Francisco celebrou uma missa, na Basílica Vaticana, no último dia 16 de maio, para os católicos de Mianmar, que vivem em Roma, exortando-os a não perder a esperança e fazendo um apelo à unidade, pois a divisão entre os povos é "uma doença mortal". No entanto, desde o início do golpe militar, mais de 800 pessoas morreram e cerca de três mil foram presas desde 1º de fevereiro.

Vatican News Service - RB

30 maio 2021, 10:34