Busca

Vatican News
Os cristãos são uma pequena minoria no Paquistão, que tem 96% da população muçulmana Os cristãos são uma pequena minoria no Paquistão, que tem 96% da população muçulmana  (AFP or licensors)

Paquistão: bem recebidas por cristãos medidas do governo para proteger minorias religiosas

Ao lançar a iniciativa, o chefe do Conselho de Ulemás do Paquistão garantiu que "o governo do Paquistão está empenhado em proteger as minorias religiosas de se tornarem vítimas de conversões forçadas e casamentos forçados, bem como das falsas acusações segundo as leis sobre a blasfêmia."

Vatican News

Ouça e compartilhe!

“Apreciamos o renovado compromisso do governo com a proteção das minorias religiosas no Paquistão, especialmente na proteção daqueles que são falsamente acusados ​​e na proteção das meninas inocentes menores de idade, vítimas de conversões e casamentos forçados.”

Foi o que declarou à Agência Fides Dom Samson Shukardin OFM, bispo de Hyderabad e novo presidente da Comissão Católica Nacional para Justiça e Paz (CCJP), ao comentar a iniciativa do chefe do Conselho de Ulemás do Paquistão e conselheiro especial do primeiro ministro Imran Khan sobre harmonia religiosa, Hafiz Tahir Mehmood Ashrafi.  “A iniciativa do Escritório do Governo para a Harmonia Inter-religiosa – avaliou o prelado - certamente fortalecerá a paz e a harmonia entre as pessoas de várias religiões e levará as pessoas de minorias religiosas a não viverem no medo”.

 

O líder islâmico lançou a iniciativa para a proteção das minorias religiosas que vivem no Paquistão, intitulada "Apelo aos não-muçulmanos no Paquistão", anunciando a criação de uma seção específica dentro do Escritório do Governo para a Harmonia Inter-religiosa, dedicado justamente a tratar especificamente dos problemas e questões relativas às minorias religiosas.

"A cada pouco - disse Ashrafi - sabemos de várias partes do de país episódios de conversões forçadas, casamentos forçados e pessoas ameaçadas em nome da religião. Para combater esses problemas e especialmente para frear o abuso da lei de blasfêmia no Paquistão, sob instruções de nosso primeiro-ministro Imran Khan, criamos um novo setor em nosso escritório."

Ao lançar a iniciativa, o chefe do Conselho de Ulemás do Paquistão garantiu que "o governo do Paquistão está empenhado em proteger as minorias religiosas de se tornarem vítimas de conversões forçadas e casamentos forçados, bem como das falsas acusações segundo as leis sobre a blasfêmia."

 

"O governo – acrescentou ele - formará Conselhos de Harmonia Inter-religiosa em todo o país para promover a tolerância religiosa; esses conselhos incluirão representantes de todas as escolas de pensamento islâmico para impedir e controlar o uso indevido das leis de blasfêmia."

Hafiz Ashrafi, que com sua equipe também ajudou a salvar seis cristãos em Lahore em novembro, explicou ainda que “nos últimos dois meses intervimos e solucionamos 101 casos, examinados com o ajuda de estudiosos islâmicos e religiosos, salvando 101 paquistaneses não muçulmanos de leis abusivas e falsas acusações. Com a liderança de Imran Khan, queremos garantir direitos iguais para todos os cidadãos. Pretendemos formar Imames nos temas da harmonia inter-religiosa, do diálogo inter-religioso e da tolerância”.

O Diretor do Peace Center de Lahore, Pe. James Channan OP, ao compartilhar suas reflexões com a Fides sobre a iniciativa, declarou que “o compromisso do Conselho para a Harmonia Inter-religiosa do Paquistão, em favor da proteção das minorias religiosas, é muito positivo e mensagem de esperança para nós no novo ano”.

O sacerdote exorta: “Encorajemos todos os nossos líderes religiosos e políticos cristãos a difundir a mensagem e o apelo lançado por Hafiz Tahir Mehmood Ashrafi, do Escritório de Harmonia Inter-religiosa do Governo, a fim de obter ajuda oportuna para os não muçulmanos que sofrem abusos na sua dignidade ou direitos"

Agência Fides - AG/PA

07 janeiro 2021, 12:53