Busca

Vatican News
Cristãos iraquianos antes da Missa de Natal na Igreja da Imaculada, em Mosul Cristãos iraquianos antes da Missa de Natal na Igreja da Imaculada, em Mosul 

Agora, Natal é festa nacional no Iraque

O Parlamento iraquiano decidiu por unanimidade que o Natal será uma festividade para todo o país a partir deste ano. A decisão adquire um significado ainda mais profundo tendo em vista a Viagem Apostólica do Papa Francisco, programada para março de 2021

Andrea De Angelis - Vatican News

Ouça e compartilhe!

A festa de Natal chega ao Iraque, oficialmente e para sempre, após a votação unânime do Parlamento que implementou uma proposta já formulada nos últimos meses, divulgada durante um encontro entre o presidente iraquiano Barham Salih e o patriarca caldeu, cardeal Louis Raphael I Sako, que expressou sua alegria e gratidão por uma decisão tão esperada.

Os anos passados

 

As autoridades políticas iraquianas já haviam assinalado para o reconhecimento da festa de Natal em 2008, mas não em todo o território nacional. Em 2013, por exemplo, o governo de Bagdá determinou que 25 de dezembro seria um feriado nacional. Um dia de descanso para as famílias da minoria cristã viverem em família.

 

Há dois anos, o governo aprovou uma emenda à lei sobre feriados nacionais, elevando o Natal ao status de celebração pública para todos os cidadãos, cristãos e muçulmanos. No ano passado, o cardeal Louis Raphael Sako havia dado algumas instruções sobre como celebrar o Natal de forma sóbria, sem momentos de convívio público, como sinal de proximidade às famílias das centenas de mortos e feridos registrados durante os protestos e confrontos de rua que nos meses anteriores haviam abalado o país.

A atual escolha

 

A partir deste ano, portanto, o Natal se torna para sempre uma festividade nacional no Iraque. O cardeal Louis Raphael Sako, imediatamente após ouvir a notícia da decisão unânime do Parlamento, divulgou uma mensagem na qual agradeceu ao presidente iraquiano Barham Salih, ao presidente do Parlamento Muhammad al Halbousi e a todos os parlamentares “pelo voto favorável de seus irmãos cristãos”, invocando a bênção e a recompensa de Deus para todos eles.

 

No dia 17 de outubro, conforme noticiado pela Agência Fides, o próprio cardeal Sako havia exposto ao presidente Salih a proposta de apresentar um projeto de lei ao Parlamento voltado a reconhecer o Natal como festividade em todo o Iraque. Na ocasião, recebendo o patriarca caldeu em sua residência, o presidente Salih destacou o papel das comunidades cristãs na reconstrução do país, após os anos de ocupação jihadista de Mosul e grandes regiões do norte do Iraque.

A viagem do Papa

 

A notícia de hoje assume um significado especial, visto a Viagem Apostólica, anunciada ainda este mês, que o Papa fará ao Iraque de 5 a 8 de março de 2021. Francisco, após quinze meses durante os quais suspendeu as peregrinações internacionais devido à pandemia, “aceitando o convite da República do Iraque e da Igreja Católica local - afirmou o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni -, visitará Bagdá, a Planície de Ur, ligada à memória de Abraão, a cidade de Erbil, assim como Mosul e Qaraqosh na Planície de Nínive”.

17 dezembro 2020, 11:22