Busca

Vatican News

Bispos do Canadá: Natal é tempo privilegiado para tornar-nos pessoas melhores

Embora consciente do fato de que "o glorioso anúncio do nascimento do Menino Jesus não pôs fim às sombras presentes no mundo", todavia, afirma o presidente dos bispos canadenses, "a esperança do Natal é que a luz de Belém guie nossos passos para a renovação de nossa vida cristã". Olhando para as liturgias natalinas, o arcebispo de Winnipeg evidencia que elas falam de "uma nova luz e uma nova esperança que surgiu no mundo", para iluminar a escuridão

Vatican News

Ouça e compartilhe

O Natal é "um tempo abençoado e privilegiado em nossas vidas, em que o Senhor pode trazer uma mudança dentro de nós e nos fazer discípulos melhores": este é o cerne da Mensagem natalina do arcebispo de Winnipeg e presidente da Conferência Episcopal Canadense (Cccb), dom Richard Gagnon.

Um período de incerteza e dificuldade sem precedentes

"A pandemia mundial dos últimos meses representou um período de incerteza e dificuldade sem precedentes", que também levou "ao cancelamento das liturgias públicas e ao declínio da vida paroquial e diocesana", ressalta o prelado.

Além disso, tem se afirmado cada vez mais a consciência "dramática" de como o homem é "verdadeiramente vulnerável diante de desastres naturais e doenças", continua dom Gagnon.

Oportunidades para reconstruir a Igreja, com ajuda do Senhor

Todavia, reitera ele, "a fraqueza e o medo, embora façam parte de nossas vidas, não são tudo, porque existe também outra realidade": a de "estarmos determinados a seguir adiante", graças a "uma reflexão sobre nossa vida pessoal, familiar, relacional" e através da "oração e da Palavra de Deus".

Estes meses difíceis, sublinha o presidente dos bispos canadenses, também permitiram aos chamados "cristãos escondidos", ou seja, aos batizados não praticantes, "apreciar mais a fé", abrindo "novas oportunidades para reconstruir a Igreja de novas maneiras, com a ajuda do Senhor".

Luz de Belém guie os passos para a renovação da vida cristã

Em seguida, olhando para as liturgias natalinas, o arcebispo de Winnipeg evidencia como elas falam de "uma nova luz e uma nova esperança que surgiu no mundo", para iluminar a escuridão.

Embora consciente do fato de que "o glorioso anúncio do nascimento do Menino Jesus não pôs fim às sombras presentes no mundo", todavia, conclui o arcebispo, "a esperança do Natal é que a luz de Belém guie nossos passos para a renovação de nossa vida cristã".

Vatican News – IP/RL

24 dezembro 2020, 14:01