Busca

Vatican News

Canadá. A oração e a caridade são o coração da obra missionária: a missão continua

“As Obras Missionárias nascem espontaneamente do fervor missionário expresso pela fé dos batizados. Desde a sua fundação até hoje, seguiram dois caminhos sempre paralelos que, na sua simplicidade, sempre foram familiares ao coração do Povo de Deus: o caminho da oração e o da caridade.” “As Pontifícias Obras Missionárias (POM) são um instrumento a serviço da missão nas Igrejas particulares, no horizonte da missão da Igreja que sempre abraçou o mundo inteiro”, ressalta o diretor nacional das POM do Canadá, padre Ouellet

Vatican News

Ouça e compartilhe

“Todos os batizados devem anunciar o Evangelho e testemunhar da Palavra de Deus. O mês missionário foi um tempo especial para nos convidar a refletir sobre o chamado do Senhor à missão: O tema escolhido pelo Santo Padre, ‘Eis-me aqui: envia-me!’, é uma resposta envolvente e desafiante que continua hoje e por toda a vida.”

Foi o que disse à Fides – agência missionária da Congregação para a Evangelização dos Povos – o diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM) do Canadá francês, padre Yoland Ouellet, recordando que o chamado à evangelização não se limita a apenas um mês por ano, o mês de outubro, há pouco concluído, mas que é responsabilidade perene de todo batizado.

Terço missionário enriquecido por meditações do Papa

Padre Yoland refere-se ao papel crescente dos leigos e fala dos desafios mais importantes para a Igreja no futuro: “Todos os cristãos são convidados a celebrar e agradecer pela missão, mas mais particularmente, a rezar pelos seus irmãos e irmãs que vivem nas dioceses mais pobres da terra; e a viver a solidariedade participando numa busca única organizada em todas as igrejas do mundo”.

Referindo-se sobre como o outubro missionário foi vivido no Canadá – com a recitação do Terço missionário enriquecido por meditações do Papa Francisco –, o diretor das POM cita uma vigília especial de oração missionária, inspirada nos grandes modelos canadenses beatificados ou canonizados, como Santa Margarida Bourgeoys.

Uma imersão mais profunda na vida real das pessoas

Segundo o diretor nacional, a função das POM no seio da comunidade católica precisa ser reavaliada: “Fará bem uma imersão mais profunda na vida real das pessoas como elas são”, afirma ele.

“Devemos estar vigilantes e tentar reintegrar a capilaridade da ação e dos contatos das POM no seu entrelaçamento com a rede eclesial. Somente favorecendo estas condições – prossegue – é que podemos escapar melhor da armadilha da abstração. Devemos, portanto, responder a questões e necessidades reais, em vez de formular e multiplicar propostas.”

POM, instrumento a serviço da missão nas Igrejas particulares

“As Obras Missionárias – recorda padre Ouellet – nascem espontaneamente do fervor missionário expresso pela fé dos batizados. Desde a sua fundação até hoje, seguiram dois caminhos sempre paralelos que, na sua simplicidade, sempre foram familiares ao coração do Povo de Deus: o caminho da oração e o da caridade.”

“As Pontifícias Obras Missionárias – conclui o sacerdote – são um instrumento a serviço da missão nas Igrejas particulares, no horizonte da missão da Igreja que sempre abraçou o mundo inteiro.”

(Fides)

10 novembro 2020, 09:39