Busca

Vatican News
Catedral de Estrasburgo (Foto: Jackson Erpen) Catedral de Estrasburgo (Foto: Jackson Erpen) 

Cardeal Parolin, Legado Pontifício para Missa dos 1300 anos da morte de Santa Odília

O cardeal secretário de Estado da Santa Sé presidirá em 4 de julho uma Missa na Catedral de Estrasburgo por ocasião do 1300º aniversário da morte de Santa Odília, padroeira da Alsácia e protetora dos olhos.

Cyprien Viet – Vatican News

Ouça e compartilhe!

A Sala de Imprensa da Santa Sé informou nesta terça-feira, 4, que o Papa Francisco nomeou o cardeal Pietro Parolin Legado Pontifício para presidir a Missa que terá lugar em 4 de julho de 2021 na Catedral de Estrasburgo, por ocasião do 1300º aniversário da morte de Santa Odília, padroeira da Alsácia.

Santa Odília, nascida por volta de 660 em Obernai e falecida em 720 em Hohenbourg, era de de uma família nobre merovíngia. Esta menina cega, cujo primeiro nome significa "Luz de Deus", foi milagrosamente curada durante seu batismo aos 15 anos. Ela então se tornou freira e fundou um mosteiro no Castelo de Hohenbourg, em uma colina que mais tarde recebeu seu nome. O Monte Sainte-Odile (Monte Santa Odília) é até hoje um conhecido local de peregrinação e turismo na Alsácia. Os peregrinos que visitam o local, que se tornou um Santuário, costumam molhar seus olhos com a água proveniente da fonte do mosteiro, pedindo intercessão da Santa francesa para a cura dos males da visão.

Ela foi canonizada pelo Papa Leão IX no século XI, sendo proclamada padroeira da Alsácia pelo Papa Pio XII em 1946, um ano após o fim da Segunda Guerra Mundial, que afetou particularmente este território, anexado pela Alemanha nazista com uma administração extremamente violenta.

Desde 13 de dezembro de 2020, a Diocese de Estrasburgo realiza um Grande Jubileu pelos 1300 anos da morte de Santa Odília. Ela é muito venerada como protetora dos doentes da visão, dos cegos e dos médicos oftalmologistas.

A especificidade religiosa da Alsácia

 

A Diocese de Estrasburgo, assim como a vizinha Diocese de Metz, tem a particularidade de aplicar as regras da Concordata Napoleônica. Os padres são, portanto, pagos pelo Estado, e os bispos são objeto de nomeação conjunta do Papa e do Presidente da República, com publicação no Diário Oficial.

Na verdade, a separação entre Igreja e Estado não se aplica à Alsácia nem à Mosela, porque esses dois departamentos estavam sob a soberania alemã quando esta lei foi votada pela República Francesa em 1905. Sua adesão à França após a Primeira Guerra Mundial foi alcançada com certa flexibilidade quanto à aplicação dos princípios da laicidade.

Estas duas dioceses receberam a visita de São João Paulo II em 1988. Por seu turno, o Papa Francisco fez uma breve visita a Estrasburgo em novembro de 2014, oportunidade em que pronunciou dois discursos perante o Parlamento Europeu e o Conselho da Europa, mas por questão de tempo na agenda não pode visitar a Catedral.

04 maio 2021, 12:11