Busca

Vatican News
Em foto de arquivo de 2018, Francisco na solenidade da Imaculada Conceição em Roma Em foto de arquivo de 2018, Francisco na solenidade da Imaculada Conceição em Roma 

Imaculada: "Papa confiará o mundo sofredor nas mãos de Maria", diz mariólogo italiano

Por causa da pandemia, nesta terça-feira, 8 de dezembro, pela primeira vez o Pontífice não estará presente na Praça de Espanha para a tradicional homenagem à Virgem no dia da Solenidade da Imaculada Conceição de Maria. No seu lugar, um gesto privado de devoção. Segundo o mariólogo Antonino Grasso, “desta vez o ato tradicional de consagração de Roma e da Itália será estendido a todos os povos sofredores da Terra. Uma novidade cheia de amor".

Federico Piana, Andressa Collet – Vatican News

Ouça a reportagem especial e compartilhe

Desde que Pio XII visitou pela primeira vez a estátua da Virgem, ao homenageá-la com uma esplêndida cesta de flores brancas naquele distante 8 de dezembro de 1953, dia de abertura do Ano Mariano, a Praça de Espanha na Capital Eterna nunca tinha visto a ausência de um Pontífice na Solenidade da Imaculada, ao confiar a Maria o destino de Roma e da Itália. Foi preciso uma dramática pandemia, que ainda registra centenas de milhares de contágios e mortes, para impor ao Papa Francisco a dolorosa decisão de cancelar um compromisso que tinha se tornado uma tradição.

No seu lugar, para evitar aglomerações e riscos para os fiéis, Francisco vai realizar um ato privado de devoção, como anunciado pela Sala de Imprensa da Santa Sé ainda no final de novembro.

A outra novidade no dia da Imaculada

Uma outra novidade é confiar a Nossa Senhora os sofredores do mundo inteiro, como explica Antonino Grasso, leigo da diocese de Acireale, de Catânia, na Itália, que tem PhD em Teologia, com especialização em Mariologia, e atualmente é docente universitário e colaborador da Rádio Vaticano. O mariólogo explica:

“O Pontífice vai confiar a Nossa Senhora, não somente a Cidade Eterna e os seus habitantes, como é de costume, mas desta vez também vai incluir os muitos doentes de todo o mundo.”

O professor comenta que Francisco fará isso apresentando as nossas dificuldades e fraquezas atuais: "o Papa vai se dirigir a Virgem sabendo que, quando nós a suplicamos, ela suplica por nós. A Mãe de Misericórdia intercede prontamente, nunca demora".

Profundo vínculo entre Roma e a Virgem

Depois de Pio XII, foi o seu sucessor a continuar o gesto da devoção e da consagração a Virgem no monumento da Imaculada Conceição, em Roma, como lembra o mariólogo italiano:

“João XXIII foi pela primeira vez à Praça de Espanha em 8 de dezembro de 1958, enquanto Paulo VI o fez no encerramento do Concílio Vaticano II, em 8 de dezembro de 1965. O Papa João Paulo II, o Papa Bento XVI e agora o Papa Francisco continuaram a viver essa tradição, enfatizando, com os seus discursos, o profundo vínculo de Roma e da Itália com a Virgem.”

A coluna inaugurada após a proclamação do dogma da Imaculada

A coluna que serve de base à estátua de bronze de Maria, colocada na Piazza Mignanelli, ao lado da Praça de Espanha, tem uma história ainda mais antiga do que o ato de devoção e consagração. Foi projetada pelo arquiteto Luigi Poretti e inaugurada por Pio IX, como explica o professor Grasso:

"A inauguração aconteceu em 8 de dezembro de 1857, três anos após a solene proclamação do dogma da Imaculada Conceição de Maria. A coluna, utilizada para a criação do monumento, foi encontrada em 1777 durante os trabalhos de reforço das fundações de um edifício doado por Pio VI às monjas beneditinas de Santa Maria em Campo Marzio e também contém os versos da Sagrada Escritura que se referem ao dogma."

07 dezembro 2020, 10:21