Busca

Vatican News
Muitas pessoas sem moradia fixa buscam abrigo sob as Colunatas de Bernini para passar a noite Muitas pessoas sem moradia fixa buscam abrigo sob as Colunatas de Bernini para passar a noite 

Krajewski: todos os serviços para os pobres permanecem abertos

Chuveiros, dormitórios e assistência aos sem-teto. No Vaticano, em total conformidade com as regras estabelecidas após a emergência do coronavírus, os serviços para os pobres não param. Assegurada também a distribuição de uma refeição para o almoço

Benedetta Capelli - Cidade do Vaticano

"Não deixem sozinho o pobre Lázaro que bate à porta": esta é a forte mensagem do Esmoler pontifício dirigida a quem vê, quem sabe, alguém necessitado nas proximidades do prédio onde mora.

Ouça e compartilhe!

"Mantendo a distância de segurança, usando luvas, evitando aglomerações, é possível continuar a ajudar as pessoas próximas a nós." Com esse espírito no Vaticano, tem continuidade os serviços essenciais aos pobres.

Serviços abertos

 

"É um momento de urgência, portanto, é necessário deixar os chuveiros e banheiros abertos, porque, se antes um pobre podia usufruir dos serviços de um bar ou de um restaurante, agora não é mais assim". “A mesma coisa - continua o cardeal Krajewski - acontece para comer. Se antes os sem-teto tinham a possibilidade de comer um croissant ou beber um cappuccino de presente, hoje isso não acontece mais."

Nas cercanias de São Pedro

 

E é por isso que todos os serviços foram mantidos. “Os turnos dos voluntários permanecem os mesmos, a distribuição nas estações de Roma permanece, os chuveiros funcionam sob a Colunata de São Pedro, aqui se pode também receber um sanduíche e uma bebida. As irmãs do Dom de Maria - explica ele - oferecem uma sacola com comida ao final da tarde, ontem foram distribuídas 120".

“No Palazzo Migliori, aberto há alguns meses, basta bater e sempre se consegue alguma coisa. A lado - continua o cardeal - há as Irmãs de Nossa Senhora das Dores que colaboram na distribuição das sacolas".

Ajuda com o espírito cristão

 

"O meu convite aos pobres é também o de bater nas paróquias, nas canônicas, sem medo, porque o espírito cristão nos diz que devemos abrir".

Ao mesmo tempo, existe uma "caixa de correio" na Esmolaria Apostólica, onde é possível deixar informações sobre pessoas em dificuldade ou mesmo pedir informações.

"Muitos não sabem para onde ir, não sabem como ajudar, as pessoas estão perdidas, e então, conclui o Esmoler, é possível ligar também para esse número de celular para emergências: 3481300123".

15 março 2020, 15:11