Busca

Vatican News

Missa de Ação de Graças recorda visita do Papa a Abu Dhabi

Na tarde de quarta-feira, a comunidade católica de Abu Dhabi se reuniu na Catedral de São José para comemorar o primeiro aniversário da visita do Papa Francisco ao país árabe. A celebração ao ar livre foi presidida pelo vigário apostólico da Arábia do Sul, Dom Paul Hinder.

Irmã Bernadette Mary Reis - Abu Dhabi

Muitas pessoas que haviam encontrado o Papa durante sua visita privada à Catedral ou que haviam participado da Missa celebrada no Zayed Sport City estiveram presentes na Celebração Eucarística na tarde de quarta-feira em Abu Dhabi. Em diversos momentos o rito remeteu os participantes àquele momento especial vivido um ano atrás: o mesmo coral cantou os mesmos cânticos do ano passado, o mesmo diácono proclamou o Evangelho e o vigário apóstólico Dom Hinder leu uma parte da homilia do Papa pronunciada no ano passado. Assim que a Santa Missa terminou, as pessoas presentes quiseram recordar aquela histórica visita com fotos e vídeos, os destaques de toda a visita do Papa Francisco.

Ouça e compartilhe

A visita do Papa deu frutos?

 

O bispo suíço fez algumas perguntas aos presentes na celebração: "A visita do Papa Francisco foi realmente uma oportunidade para aprofundar a nossa fé e renovar nosso compromisso? Ficou somente a recordação de termos sido os únicos a serem visitados pelo Papa na Península Arábica, e tido a oportunidade de encontrá-lo e apertar sua mão ou receber sua bênção?" Estamos realmente felizes que o Sucessor de Pedro tenha vindo fortalecer nossa fé?" Sei que o Papa Francisco ficou profundamente tocado com a maneira como foi recebido neste país - continuou o bispo Hinder - e pelos fiéis no estádio".

Núncio recordou aos presentes a homilia, lendo parte dela

 

O vigário apostólico perguntou então se os presentes no ano passado haviam "levado a sério" o que o Papa lhes havia falado, se haviam lido o Documento sobre Fraternidade Humana ou se haviam relido a homilia do Papa. E então repropôs uma passagem da homilia:

"Olhemos para Jesus: não deixou nada escrito, não construiu nada de imponente. E, quando nos disse como viver, não pediu para erguermos grandes obras ou nos salientarmos realizando feitos extraordinários. Uma única obra de arte, possível a todos, nos pediu para realizarmos: a da nossa vida. Então as Bem-aventuranças são um mapa de vida: não pedem ações sobre-humanas, mas a imitação de Jesus na vida de cada dia. Convidam-nos a manter puro o coração, a praticar a mansidão e a justiça venha o que vier, a ser misericordiosos com todos, a viver a aflição unidos a Deus. É a santidade da vida diária, que não precisa de milagres nem de sinais extraordinários. As Bem-aventuranças não são para super-homens, mas para quem enfrenta os desafios e provações de cada dia. Quem as vive à maneira de Jesus torna puro o mundo. É como uma árvore que, mesmo em terra árida, diariamente absorve ar poluído e restitui oxigénio. Faço votos de que sejais assim, bem enraizados em Cristo, em Jesus e prontos a fazer bem a quem está perto de vós. Que as vossas comunidades sejam oásis de paz."

"Queridos irmãos e irmãs", concluiu Dom Hinder, "olhemos para a visita papal com gratidão. Ainda mais importante é o nosso compromisso com a mensagem que o Papa Francisco nos deixou: manter na mente e no coração as palavras de Jesus, para não ter medo. Tenham somente fé."

06 fevereiro 2020, 11:37