Busca

Vatican News
O Congresso da Mídia em Abu Dhabi foi o palco para apresentar o código O Congresso da Mídia em Abu Dhabi foi o palco para apresentar o código 

Código de Ética para profissionais da mídia árabe é apresentado em Abu Dhabi

Na celebração do primeiro aniversário do Documento sobre a Fraternidade Humana foi realizado um Congresso para a Mídia em Abu Dhabi. O evento aconteceu no início da semana, onde foi apresentado um Código de Conduta Ética para os profissionais da imprensa árabe que esperam que seja adotado em nível internacional.

Ir. Bernadette Mary Reis, Andressa Collet – Cidade do Vaticano

Durante o Congresso da Mídia Árabe pela Fraternidade Humana, que começou no início desta semana em Abu Dhabi e contou com a participação do Prefeito do Dicastério para a Comunicação, Paolo Ruffini, foi apresentada uma importante iniciativa por dois membros do Comitê Superior formado para implementar o Documento sobre a Fraternidade Humana em prol da Paz Mundial e da Convivência Comum. Por ocasião do primeiro aniversário da histórica assinatura, o juiz Mohamed Abdel Salam, ex-conselheiro do Grão Imame, e Dom Yoannis Gaid, representante do Papa Francisco no evento, ilustraram um Código de Conduta Ética aos profissionais da imprensa árabe. 

Os valores do Código de Ética

Dom Yoannis disse que se pode falar de um “antes e um depois do Documento” sobre a fraternidade humana. Ele agradeceu os membros da imprensa que já leram o código e que já iniciaram a incorporar os valores do seu conteúdo. Dom Yoannis também convidou a encorajar outros profissionais da mídia a ler o texto, dizendo que nenhuma pessoa com um coração humano pode se negar de trabalhar no espírito desse documento.

Os princípios presentes no texto

O sultão Al Remeithi, secretário-geral do Conselho dos Muçulmanos Idosos, apresentou o Código Ético que contém, entre outros, os seguintes princípios:

Preservar a liberdade de expressão como direito humano.
Promover o valor da amizade e da convivência recíproca.
Rejeitar todo tipo de expressão de ódio, especialmente quando se trata de religião.
Rejeitar todas as expressões que dividem a humanidade.
Colocar em evidência como os civis inocentes sejam atingidos pela guerra e pela violência.
Evitar o uso de estereótipos.
Ser solidários com os migrantes e apoiar o seus direitos para uma vida digna.
Encorajar os conteúdos que contêm valores humanos.
Promover e proteger a família.
Encorajar a promoção dos direitos das mulheres como direitos humanos.
Promover os direitos dos portadores de deficiência e de não publicar nada de negativo sobre eles.
Respeitar os direitos da infância e ajudar na luta contra o tráfico de crianças.
Formar os profissionais da mídia para adotar esses princípios no trabalho deles.
 

Todos os presentes no Congresso da Mídia, em Abu Dhabi, foram convidados a serem os primeiros a assinar o Código de Ética. Os redatores esperam que, futuramente, o texto possa se transformar num Código de Ética Internacional para a imprensa.

06 fevereiro 2020, 16:58