Busca

Vatican News
A Vigília de Oração abre oficialmente o projeto “Amazônia: Casa Comum” A Vigília de Oração abre oficialmente o projeto “Amazônia: Casa Comum”  (@Cimi)

Jovens animam Vigília de Oração em preparação ao Sínodo Amazônico

A abertura oficial do projeto “Amazônia: Casa Comum” está marcada para este sábado (5), na Igreja em Traspontina, em Roma, com uma Vigília de Oração animada pelos jovens. A iniciativa irá promover uma centena de eventos que irão acompanhar o Sínodo Amazônico que começa no domingo (6).

Andressa Collet – Cidade do Vaticano

A Vigília de Oração em preparação ao Sínodo Amazônico e que abre oficialmente o projeto “Amazônia: Casa Comum” acontece neste sábado (5), a partir das 19h30, na Igreja de Santa Maria em Traspontina, na Via della Conciliazione, rua que dá acesso ao Vaticano. O momento será animado pelos Jovens do Empenho Missionário (GIM) provenientes de várias cidades italianas: Milão, Pádua, Verona, Nápoles e Bari. Com mochilas e sacos de dormir, eles irão acompanhar a viagem que os trará até Roma para apoiar com a oração os padres sinodais.

O Irmão Antonio Soffientini, comboniano, da secretaria executiva do projeto, disse que os jovens têm demonstrado uma grande sensibilidade ambiental e eclesial: “essa maneira de ser Igreja, de se mostrar próximo dos mais vulneráveis, interessa muito aos jovens, em especial, àqueles do GIM, que escolheram esse percurso de formação justamente para compartilhar com os seus coetâneos momentos de análise crítica da realidade e de empenho concreto”.

Vigília lembra de mártires da Amazônia

A Vigília de Oração também vai abrir espaço para um momento dedicado à lembrança dos mártires em defesa do povo e da floresta amazônica, como Pe. Ezequiel Ramin, Irmã Dorothy Stang e Chico Mendes. Personalidades que serão recordadas também nos próximos eventos, como na conferência do dia 8 de outubro, intitulada “Igreja que dá a vida pela Amazônia”, e na “Peregrinação pela Amazônia”, prevista para a manhã do dia 19 de outubro.

Neste sábado, a Igreja de Santa Maria também será aberta à diversidade dos povos, aos elementos da natureza, à partilha e à escuta, graças aos momentos de espiritualidade amazônica que serão orientados pela Equipe Itinerante e por indígenas presentes na Vigília de Oração, como os representantes do grupo étnico Sateré Mawé, do Brasil. Ainda se farão presentes na ocasião, além de alguns padres sinodais, o Card. Pedro Ricardo Barreto Jimeno, arcebispo de Huancayo e vice-presidente da Repam.

04 outubro 2019, 17:51