Busca

Vatican News
O carro que foi a leilão recebeu um autógrafo do Papa em 15 de novembro de 2017 O carro que foi a leilão recebeu um autógrafo do Papa em 15 de novembro de 2017 

Instituições no Haiti serão beneficiadas com leilão de carro de luxo doado ao Papa

A última parte da soma obtida com o leilão da Lamborghini doada ao Papa em 2017 vai ao Haiti para a reconstrução de uma escola infantil e de um seminário, destruídos pelo terremoto de 2010. As outras partes da quantia irão beneficiar entidades beneficentes italianas que também atendem outros países. Nesta sexta-feira (13), o Papa Francisco recebeu um cheque simbólico da operação no valor de cerca de 900 mil euros.

Andressa Collet – Cidade do Vaticano

Na tarde desta sexta-feira (13), o Papa Francisco encontrou o presidente da Lamborghini, uma fabricante italiana de automóveis desportivos de luxo, e os responsáveis da Fundação OMAZE, que organizou a venda em leilão de um carro que o Pontífice ganhou em doação, para fins de beneficência. O modelo “Huracan Lamborghini”, colocado à disposição pela empresa, ganhou autógrafo do Papa em 15 de novembro de 2017.

Ouça e compartilhe!

Segundo informações divulgadas pelo diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, o vencedor do leilão do carro, também presente no encontro, foi um cidadão da República Tcheca. Na ocasião foi entregue ao Papa Francisco um cheque simbólico da operação no valor de cerca de 900 mil euros.

O Pontífice citou o Evangelho de Mateus, capítulo 25, sublinhando como a generosidade desse gesto de caridade, que alcança diretamente os mais pobres, corresponde às palavras da passagem evangélico.

Para onde vai o dinheiro

De fato, a última parte do dinheiro recebido, cerca de 200 mil euros, será destinada à reconstrução de um seminário e de uma escola infantil no Haiti, espaços que foram destruídos pelo terremoto de 2010.

Os valores precedentemente depositados foram destinados a diferentes instituições:

- à Comunidade Papa João XXIII, que atende mulheres vítimas do tráfico e da prostituição, foram destinados 300 mil euros;

- à Fundação “Ajuda à Igreja que Sofre”, em especial, para a reconstrução da Planície de Nínive, foram 200 mil euros;

- e a duas associações indicadas pela empresa Lamborghini, ONG Amigos Centrafrica e GICAM, foram destinados 160 mil euros.

13 setembro 2019, 20:05