Cerca

Vatican News
O Papa citou a Nicarágua durante a mensagem de Natal, que precedeu a Bênção Apostólica “Urbi et Orbi” na terça-feira (25) O Papa citou a Nicarágua durante a mensagem de Natal, que precedeu a Bênção Apostólica “Urbi et Orbi” na terça-feira (25)  (ANSA)

Crise na Nicarágua: mensagem do Papa reforça pedido de paz

As palavras de encorajamento pelos irmãos da Nicarágua, pronunciadas pelo Papa Francisco na sua mensagem de Natal na terça-feira (25), foram retomadas pela vice-presidente e primeira-dama do país, Rosario Murillo, que também pede “a vitória do amor”. A Nicarágua vive grave crise desencadeada em abril com uma onda de protestos contra o governo atual.

Andressa Collet – Cidade do Vaticano

Na mensagem de Natal, pronunciada da sacada central da Basílica de São Pedro na terça-feira (25), o Papa Francisco elevou seu pensamento a diversos países, como a Nicarágua. Por ocasião do Natal do Senhor, o Pontífice fez um apelo de paz e fraternidade à população daquele país que enfrenta uma grave crise social e política, ao dizer:

“ Que, diante do Menino Jesus, os habitantes da querida Nicarágua redescubram ser irmãos; que não prevaleçam as divisões e as discórdias, mas todos trabalhem para favorecer a reconciliação e, juntos, construir o futuro do país. ”

Ouça a reportagem

Compromisso em cumprir o pedido do Papa

Por parte da vice-presidente do país, Rosario Murillo, veio o agradecimento pelas palavras de reconciliação do Papa Francisco. Nesta quinta-feira (27), através dos meios de comunicação oficiais, a também esposa do presidente Daniel Ortega falou sobre “o compromisso de cumprir com essas palavras” do Pontífice.

Rosario Murillo retomou a mensagem do Papa ao afirmar do comprometimento de todos no país para “favorecer a concórdia, a reconciliação e construir juntos o futuro da Nicarágua numa cultura precisamente de encontro, de reconciliação, de paz e de boa vontade, que gere práticas de encontro, de respeito e de irmandade” em toda a Nicarágua. A vice-presidente também disse que tem pedido a Deus “a vitória do amor” em meio à crise.

Necessidade de diálogo e esforço de todos

O núncio apostólico na Nicarágua, Dom Stanislaw Waldemar Sommertag, também enalteceu a importância do diálogo e do esforço de todos, começando pelos governantes e pelas instituições, para resolver a difícil situação vivida pelos cidadãos. Neste Tempo de Natal, o arcebispo polonês convidou a um “profundo exame de consciência para buscar curar as feridas, oferecer o perdão até se chegar ao ato quase heroico de esquecer os males recebidos, implorar a verdadeira paz, confiar na justiça e agira com amor, sempre mais corretamente”.

Crise gera centenas de mortes no país

A Nicarágua vive uma crise desencadeada em abril com uma onda de protestos contra o governo de Ortega e por mais liberdade de expressão e direitos humanos, que tem gerado centenas de mortes e pessoas presas.

O Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (EACDH) e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) responsabilizou o governo de “mais de 300 mortes”, além de torturas, obstrução à assistência médica, prisões arbitrárias, sequestros e violência sexual. O presidente Daniel Ortega nega as acusações e diz se tratar de um “golpe de Estado”. (EFE)

28 dezembro 2018, 12:29