Busca

Vatican News
A autêntica vida religiosa "pode ​​contribuir fortemente para a formação de pessoas honestas, justas, amáveis ​​e respeitosas", diz a mensagem A autêntica vida religiosa "pode ​​contribuir fortemente para a formação de pessoas honestas, justas, amáveis ​​e respeitosas", diz a mensagem  (AFP or licensors)

Diálogo inter-religioso: refletir juntos os valores da religião, é o convite aos xintoístas

Na mensagem enviada aos xintoístas por ocasião do Ano Novo, o Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso destaca entre outros, como as religiões podem ajudar “a preparar cidadãos responsáveis e honestos e a influenciar o serviço desinteressado à sociedade, apesar do movimento global que se afasta dos valores morais".

Cidade do Vaticano

"Nós saudamos este ano na esperança de refletirmos juntos sobre o desafio de transmitir nossos respectivos valores morais aos nossos fiéis", é o desejo expresso na mensagem enviada pelo Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso às comunidades xintoístas do Japão, por ocasião do Ano Novo, festa solene para todo o povo japonês.

Declínio da religião leva à falta de moralidade

 

"Certamente, o declínio da religião como centro da vida das pessoas se traduz na falta de moralidade e compreensão comum do intercâmbio social”, segundo a mensagem. “Compartilhamos a opinião de que o desenvolvimento moral e as atitudes religiosas andam de mãos dadas com o compromisso com os deveres sociais e religiosos".

A contribuição dos feriados religiosos

 

Neste sentido, o Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso levanta a questão de como as festas religiosas "contribuem de forma eficaz para criar e promover os valores morais naqueles que participam delas" e como as religiões podem ajudar “a preparar cidadãos responsáveis e honestos e a influenciar o serviço desinteressado à sociedade, apesar do movimento global que se afasta dos valores morais ".

As implicações da prática ritual

 

Na mensagem, reafirma-se que a autêntica vida religiosa "pode ​​contribuir fortemente para a formação de pessoas honestas, justas, amáveis ​​e respeitosas". No entanto, a observância da prática ritual não é suficiente se não se concentrar nas implicações morais que esses rituais antigos aportam. A esse respeito são citadas as palavras do Papa Francisco no Angelus do dia 2 de setembro: "Na verdade, um homem ou uma mulher que vive na vaidade, na ganância ou na arrogância, ao mesmo tempo se mostra como religioso e chega até mesmo a condenar os outros é um hipócrita ".

Fortalecer a consciência dos fiéis

 

O Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso convida os xintoístas a buscarem juntos com os católicos, no início do novo ano, alcançar os fiéis "que vêm para celebrar essas diferentes práticas religiosas e festivas, a fim de fortalecer a consciência de como os ensinamentos representados nessas festas podem se tornar parte de sua vida cotidiana".

O compromisso dos líderes religiosos

 

"Para conseguir isso - continua a mensagem - sublinhamos o testemunho vivido das nossas convicções, dando aos nossos respectivos fiéis um verdadeiro campo de esperança para um mundo melhor". "Vamos celebrar nesse período festivo a alegria do nosso compromisso como líderes religiosos para oferecer mais formação sobre valores de integridade moral através de nossas crenças, contribuindo assim para o bem maior do mundo."

21 dezembro 2018, 13:20