Cerca

Vatican News

Pacem in Terris: há 55 anos, a Encíclica de João XXIII sobre a paz

"Na Verdade, na Justiça, no Amor e na Liberdade": estes são os fundamentos da "Paz" a que se refere São João XXIII em sua última Encíclica, "Pacem in Terris", dirigida a todos os "homens de boa vontade", em um momento em que a comunidade internacional parecia estar correndo em direção ao terceiro conflito mundial.

Gabriella Ceraso - Cidade do Vaticano

Em 11 de Abril, Quinta-feira Santa de 1963, o Papa Roncalli publicava sua oitava Encíclica, intitulada Pacem in Terris, aberta às aspirações do mundo contemporâneo e decifrada pelo Pontífice através dos "sinais dos tempos." Seria a última de João XXIII, já então gravemente enfermo.

Testamento espiritual para todos os homens de boa vontade

 

Muitos a consideram como uma espécie de testamento espiritual deixado à Igreja e a todos os homens e mulheres de boa vontade a quem, pela primeira vez, uma Encíclica era dirigida: crentes e não-crentes, "porque a Igreja deve olhar para um mundo sem fronteiras, menos dividido por muros ou cortinas e não pertencente nem ao Ocidente nem ao Oriente".

Paz baseada na verdade, justiça, caridade e liberdade

 

Focada no tema da não-beligerância e na construção de caminhos da paz - um anseio profundo dos seres humanos -, a Encíclica vê a luz em um período de tensões e de guerra fria.

O Papa fala para um mundo dividido entre dois blocos e em guerras no Vietnã, na África, na América Latina, com a iminente ameaça de uma hecatombe nuclear.

A mensagem é forte: "A paz permanece apenas som de palavras, se não for alicerçada naquela ordem que o presente documento traçou com confiante esperança: uma ordem fundada na verdade, construída segundo a justiça, vivificada e integrado pela caridade e implementada na liberdade ".

Orientar o caminho do homem

 

Quatro pontos-chaves para guiar a humanidade no caminho da paz: a centralidade da pessoa, inviolável em seus direitos, mas também detentora de deveres; o bem comum a ser perseguido e realizado em toda parte; o fundamento moral da comunidade política; a força da razão e o farol iluminador da fé até aos "Chamados pastorais" conclusivos, marca pessoal de São João XXIII, com referências à participação ativa na vida pública e à implementação do bem comum.

55 anos da "Pacem in Terris" de João XXIII
11 abril 2018, 10:32