Versão Beta

Cerca

Vatican News

O Vaticano no FESTin de Lisboa com o documentário “O menor exército do mundo”

Grandes elogios no FESTin para o documentário de Gianfranco Pannone sobre a Guarda Suíça Pontifícia. Mons. Dario Viganò: “a manifestação é ocasião de poder mostrar o empenho produtivo da Santa Sé e a nova comunicação do Vaticano, na linha da reforma desejada pelo Papa”.

Lisboa

Neste ano o FESTin de Lisboa, o Festival Itinerante de Língua Portuguesa, conta com a participação do Vaticano com o documentário “O menor exército do mundo”, mostrando um aspecto inédito, interessante e humano do Corpo da Guarda Suíça Pontifícia. Ao apresentá-lo, o Prefeito da Secretaria para a Comunicação, Mons. Dario E. Viganò, falou das novidades da reforma da mídia vaticana, em particular no setor audiovisual.

“Este Festival – diz Mons. Viganò – é uma ocasião de poder mostrar o empenho produtivo da Santa Sé ligado à arte e à cultura em geral. Falo das produções em parceria com a RAI, a Sky e a ‘Officina della Comunicazione’: foram documentários realizados para a grande distribuição, que permitem viajar entre arte e história, dando a possibilidade de conhecer pontos de vista absolutamente inéditos. Quero lembrar também, por exemplo, do documentário sobre a ‘Pietà’ de Michelangelo nas séries sobre o Vaticano ou sobre o Cristo Velado – sem nunca esquecer a dimensão da experiência religiosa”.

Na programação cultural do FESTin deste ano, os horizontes foram ampliados a outros países de língua latina, assim como o português, oferecendo uma seleção de obras inéditas. Portanto, até 6 de março serão apresentados filmes provenientes da Espanha, Cuba, França, Itália e Romênia.

No entanto, o documentário de Pannone – já aclamado no Festival de Cinema de Veneza – recebeu grandes elogios, tanto pelas imagens inéditas e espetaculares dos soldados do Papa, quanto pela visão totalmente inovadora que o mesmo oferece, mostrando o novo estilo da mídia vaticana, por meio da reforma desejada pelo Papa Francisco.

“Uma missão – observa Mons. Viganò – à qual tenho prazer em contribuir apresentando o filme ‘O menor exército do mundo’, que narra um aspecto muito particular da vida no Vaticano. Seguindo o dia a dia da Guarda Suíça, consegue-se levar o espectador mais perto da nova comunicação da Santa Sé, na lógica de uma Igreja em saída”.

 

02 março 2018, 12:18