Busca

Vatican News
Papa Ffrancisco encontra dom Aldo Cavalli Papa Ffrancisco encontra dom Aldo Cavalli 

Arcebispo Aldo Cavalli nomeado pelo Papa visitador apostólico em Medjugorje

O arcebispo, até agora núncio na Holanda, de 75 anos de idade, sucede ao polonês Henryk Hoser que falelceu em agosto passado. Esta é uma missão exclusivamente pastoral que não entra na questão da veracidade ou não das aparições marianas.

Vatican News

O Papa Francisco nomeou como novo visitador apostólico em carácter especial para a Paróquia de Medjugorje, por tempo indeterminado e ad nutum Sanctae Sedis, o arcebispo Aldo Cavalli, até agora núncio apostólico nos Países Baixos e representante permanente na Organização para a Proibição de Armas Químicas. Sucede ao arcebispo polonês Henryk Hoser, que faleceu em 13 de agosto em Varsóvia aos 78 anos de idade, e que ocupava este cargo desde 2018.

Ouça e compartilhe

Núncio em três continentes

Dom Cavalli completou 75 anos de idade no dia 18 de outubro passado. Nascido em Muggianico di Lecco, Lombardia, em 1946, numa família de padeiros, foi ordenado sacerdote em Bergamo em 1971. Completou os seus estudos na Pontifícia Academia Eclesiástica, entrando para o serviço diplomático da Santa Sé em 1979. Nomeado núncio apostólico, foi sagrado bispo em 1996, como arcebispo titular de Vibo Valentia. Guiou as nunciaturas de São Tomé e Príncipe (1996), Angola (1997), Chile (2001), Colômbia (2007), Líbia e Malta (2013) Países Baixos (2015) e foi também foi representante permanente na Organização para a Proibição de Armas Químicas (2015). Em 15 de maio, foi recebido em audiência pelo Papa Francisco.

Uma missão exclusivamente pastoral

O cargo de visitador apostólico – especificou a Sala de Imprensa vaticana quando da nomeação de dom Hoser – tem caráter "exclusivamente pastoral", de acompanhamento "estável e contínuo" da comunidade paroquial desta pequena cidade na Bósnia-Herzegovina e dos muitos fiéis que ali vão em peregrinação, "cujas necessidades requerem uma atenção especial". Um papel pastoral, portanto, que não entra na questão das aparições marianas que alguns jovens afirmam ter  desde 24 de Junho de 1981.

Autorização oficial para peregrinações

Em maio de 2019, o Papa Francisco autorizou peregrinações a Medjugorje, que podem, portanto, desde então, ser oficialmente organizadas por dioceses e paróquias e não apenas em forma privada.

Papa aos jovens de Medjugorje: tenham a coragem de seguir Jesus

Em agosto passado, o Papa enviou uma mensagem aos jovens reunidos para a tradicional Mladifest, o encontro anual de oração em Medjugorje, exortando-os a terem a coragem de seguir Jesus: "Tenham a coragem - disse ele - de viver a sua juventude confiando-se ao Senhor e colocando-se a caminho com Ele. Deixem-se conquistar pelo seu olhar de amor que aos liberta da sedução dos ídolos, das falsas riquezas que prometem vida mas trazem a morte. Não tenham medo de acolher a Palavra de Cristo e de aceitar o seu chamado. Não desanimem como o jovem rico do Evangelho; em vez disso, fixem o seu olhar em Maria, o grande modelo da imitação de Cristo, e confiem-se a Ela que, com o seu "eis-me aqui", respondeu sem reservas ao chamado do Senhor".

Medjugorje para encontrar Cristo através de Maria

Hoser disse ao Vatican News que os peregrinos vão a Medjugorje, vindos de todo o mundo "para se encontrarem com Cristo e com a sua Mãe". "O caminho mariano", disse ele, "é o mais certo e o mais seguro" porque conduz a Jesus. Em Medjugorje, de fato, os fiéis têm "no seu centro a Santa Missa, adoração ao Santíssimo Sacramento, uma grande frequência ao Sacramento da Penitência". É um verdadeiro culto "cristocêntrico" - observou - vivido com a proximidade da Virgem Maria, venerada com o nome de "Rainha da Paz".

29 novembro 2021, 11:49