Busca

Vatican News

Papa: não há vírus que possa deter a relação entre professores e estudantes

Ao receber estudantes e professores de uma escola italiana, o Papa citou diversas experiências positivas realizadas com a didática à distância, que demonstram que quando se encontram a bagagem dos professores com os sonhos dos estudantes, “não há vírus que possa detê-los”.

Vatican News

O Papa Francisco concluiu sua série de audiência na manhã deste sábado, no Vaticano, recebendo dirigentes e estudantes do Instituto “Ambrosoli” da cidade de Codogno, que fica na região da Lombardia, norte da Itália.

Ouça a reportagem completa com a voz do Papa Francisco

Codogno foi o epicentro dos casos de coronavírus na Europa e esta audiência com o Pontífice estava marcada para fevereiro justamente para recordar o primeiro aniversário do início da epidemia.

Foi por isso que Francisco fez questão de realizar esta audiência que, segundo ele, é um sinal de esperança.

“Antes de tudo, porque é uma escola, isto é, local educativo por excelência. E, segundo, porque é um instituto-técnico profissional, ou seja, prepara diretamente os jovens ao trabalho; e justamente o trabalho, o emprego, foi uma das vítimas desta pandemia.”  

A importância das relações reais, e não virtuais

No contexto da didática à distância, o Papa citou diversas experiências positivas realizadas no campo educativo, demonstrando que quando se encontram a bagagem dos professores com os sonhos dos estudantes, “não há vírus que possa detê-los”.

A dimensão relacional entre os estudantes foi penalizada nos longos meses de didática à distância, mas agora “faço votos de que vocês possam retomá-la plenamente”, afirmou Francisco. A lição que se tira da pandemia é a importância que as relações interpessoais reais, e não virtuais, têm em nossa vida. Os nativos do mundo digital devem estar conscientes do perigo do isolamento:

“Que a experiência da pandemia, com esta ‘abstinência’ das relações de amizade, possa estimular em vocês um maior senso crítico no uso desses instrumentos; para que permaneçam tais, isto é, instrumentos sujeitos à nossa inteligência e vontade.”

Sem os jovens, a sociedade morre

Antes de se despedir, o Santo Padre recordou que os jovens não são o futuro, mas sim o presente. "Vocês serão o futuro se forem o presente. Vocês são o presente na sociedade. sem os jovens, uma sociedade é quase morta. Vocês são o presente porque trazem vida nova: não se esqueçam disto".

Na iminência do encerramento do ano escolar na Itália, o Pontífice faz votos de que os estudantes sintam o desejo de agradecer a Deus pela oportunidade da escola: “local onde crescer com a cabeça, com as mãos e com o coração; local onde aprender a viver as relações de modo aberto, respeitoso e construtivo; local para se tornar cidadãos conscientes e responsáveis”.

22 maio 2021, 12:23