Busca

Vatican News
Mosaico de Nossa Senhora com o lema "Totus Tuus" que demonstra a devoção mariana de João Paulo II (Praça São Pedro) Mosaico de Nossa Senhora com o lema "Totus Tuus" que demonstra a devoção mariana de João Paulo II (Praça São Pedro) 

Papa às Pontifícias Academias: Maria caminho de paz entre as culturas

O Papa Francisco enviou uma mensagem à Sessão Pública das Pontifícias Academias por ocasião da entrega dos prêmios ligado ao tema mariano deste ano. Este ano a sessão foi organizada pela Pontifícia Academia Mariana Internationalis que comemora os 60 anos da sua instituição.

Cidade do Vaticano

Na tarde desta quarta-feira, (4) foi realizada a Sessão Pública das Pontifícias Academias durante a qual o Cardeal Secretário de Estado Pietro Parolin leu a Mensagem do Papa Francisco dirigida ao Presidente da Academia, cardeal Gianfranco Ravasi. A sessão tem como objetivo a entrega dos Prêmios das Pontifícias Academias.

Ouça e compartilhe!

Na sua mensagem o Papa inicia observando que “a Academia é um lugar onde o saber torna-se serviço, porque sem um saber que nasce da colaboração e conduz à cooperação não há desenvolvimento genuíno e integralmente humano. A Academia é, no campo que lhe é próprio, uma experiência e um modelo de sinodalidade. Também é uma força de evangelização que pertence ao presente da Igreja e da sua missão”.

Maria, caminho de paz

O Papa recordou que esta 24ª edição foi organizada pela Pontifícia Academia Mariana Internationalis que comemora os 60 anos da sua instituição. E comenta o tema da Sessão Pública. “Maria, caminho de paz entre as culturas” recordando que o Magistério dos Papas "resume idealmente o caminho destes 60 anos” na vida da Igreja.

Os Papas e Maria

Pio XII, na “sua experiência dramática das duas guerras mundiais, levou-o a mostrar, iluminado pela Assunção, um farol de paz à humanidade inquieta e amedrontada”. Enquanto que o Concílio Vaticano II, indicou na “Mãe do Senhor o modelo de uma Igreja ‘mestra em humanidade’ porque é serva das aspirações mais profundas do coração humano.

Ao recordar Paulo VI o Papa comenta que “sua ligação com a Santa Virgem e o povo dos que crêem ressoa alto, claro, consciente e apaixonado”. E cita a exortação apostólica Marialis cultus como exemplo.

São João Paulo II - afirma Francisco - fez com que a Mãe do Redentor se tornasse motivo e inspiração para um renovado encontro e uma recuperada fraternidade que é o caminho para o acesso da Igreja e do mundo no novo milênio. Por isso insistiu para que a mariologia tivesse seu devido valor na formação teológica universitária e no diálogo entre os saberes”.

Por fim, Bento XVI “exortou os estudiosos a aprofundar ainda mais a relação entre mariologia e teologia da Palavra”, citando uma passagem da Verbum Domini.

Premiados nos temas mariológicos

Concluindo o Papa citou os premiados que promoveram a pesquisa teológica e particularmente os temas mariológicos: a sra. Carme López Calderón, pela obra Grabados de Augsburgo para um ciclo emblemático português: “Los azulejos de la iglesia del convento de Jesús de Setúbal”. Outro premiado foi o Reverendo Ionuț-Cătălin Blidar, pelo seu estudo intitulado “A humanidade imaculada de Maria, ícone do logos Deus, cumprimento da estirpe eleita e fruto da árvore da Cruz. Uma abordagem ecumênica à mariologia imaculatista greco-latina (séc. II-XIV)”. E também uma Medalha do Pontificado ao “Instituto Mariológico Croata”.

 

04 dezembro 2019, 17:30