Busca

Vatican News

Papa envia mensagem em vídeo aos cubanos pelos 500 anos de Havana

O Pontífice recorda que o ato de fundação da cidade de Havana foi a celebração da Santa Missa. “Ali se encontra a centralidade da vida cristã: na Eucaristia, o sacramento que reúne nós cristãos como povo diante da presença do Senhor que nos fala, nos alimenta, nos envia para sermos testemunhas no mundo. Testemunhas do Evangelho.” O Senhor Jesus nos convida a ser testemunhas da fé e também testemunhas da caridade e do amor, acrescenta

Cidade do Vaticano

O Papa Francisco enviou esta sexta-feira (15/11) uma mensagem em vídeo aos cubanos por ocasião dos 500 anos de fundação da cidade de San Cristóbal de La Havana, capital da Ilha caribenha.

Ouça e compartilhe!

“Sinto-me feliz por poder unir-me, através desta mensagem em vídeo, à celebração pelo quinto centenário de fundação da vossa cidade de San Cristóbal de La Havana. Nos quinhentos anos de história deste povo amado, se entrelaçam muitas vidas que se dedicaram aos outros, muitos sonhos, esforços, sacrifícios partilhados para construir o presente e o futuro dos filhos de Cuba”, diz o Santo Padre em suas primeiras palavras.

Francisco destaca três aspectos históricos que estiveram presentes desde o início da fundação, “e que continuam sendo ainda hoje pilares para este tempo”. E são eles a , a caridade e a esperança.

A fé

A encontra-se nas raízes da cidade. E as raízes sustentam a vida que está se desenvolvendo, as raízes alimentam, as raízes ajudam a crescer. Não se esqueçam daquelas raízes, o testemunho de fé de vossos antepassados.

O Pontífice recorda que o ato de fundação da cidade de Havana foi a celebração da Santa Missa. “Ali se encontra a centralidade da vida cristã: na Eucaristia, o sacramento que reúne nós cristãos como povo diante da presença do Senhor que nos fala, nos alimenta, nos envia para sermos testemunhas no mundo. Testemunhas do Evangelho.” O Senhor Jesus nos convida a ser testemunhas da fé e também testemunhas da caridade e do amor, acrescenta.

A caridade

A caridade é outro aspecto que distingue o povo cubano, frisa o Papa. Aprendestes de Maria, a Mãe de Jesus, que desde o início se fez presente no meio de vós com o nome da Virgem da Caridade do Cobre, enfatiza.

A caridade que Maria nos ensina é dar o amor, e fazê-lo com ternura, com dedicação, e dar o amor na vida cotidiana. Onde? – pergunta o Pontífice. “Na família, entre os vizinhos, no trabalho, com todos e sempre. Não importa se se pensa de um modo ou de outro: que haja o amor, que haja a concórdia. E é desse modo que se fundamenta a unidade do povo cubano. A concórdia entre vós. Cada um de vós.”

Francisco diz ainda que Maria nos ensina a viver esta caridade, explicando que não é somente dar “algo” aos outros, mas sobretudo “dar” nós mesmos. Viver a amizade social, que ajuda um povo a seguir adiante.

A esperança

Por fim, o Santo Padre se atém ao terceiro aspecto histórico, ainda hoje pilar para este tempo, a esperança. O Jubileu que celebrais seja um motivo para renovar a esperança. Como São Cristóvão carregava seus irmãos nas costas, assim também entre vós mesmos, peço-vos que vos ajudeis, auxiliai-vos, encorajai-vos, e sigais adiante sem perder o ânimo, sempre com o olhar voltado para a meta.

“Peço ao Senhor que estes pilares de fé, de caridade e de esperança que vos sustentam, bem como a alegria que vos caracteriza, possam ser renovados e aumentados neste tempo de graça jubilar.”

O Santo Padre conclui sua mensagem em vídeo pedindo a Jesus que os abençoe. “Abençoe todo o povo cubano, que recordo com afeto quando vos visitei: que grande povo! E que a Virgem, Nossa Senhora da Caridade do Cobre, cuide de vós. E por favor, não se esqueçam de rezar por mim. Muito obrigado.”

15 novembro 2019, 12:00