Busca

Vatican News
Mensagem do Papa à FAO, com ênfase à contribuição das mulheres na agricultura Mensagem do Papa à FAO, com ênfase à contribuição das mulheres na agricultura 

Papa à FAO: agricultura familiar, húmus para a humanidade

Em uma mensagem à FAO, apresentada nesta quarta-feira (29), o Papa Francisco apoia a abertura da "Década das Nações Unidas para a Agricultura Familiar" e diz que é uma ocasião “para erradicar a fome” e “tornar a sociedade mais consciente das necessidades dos nossos irmãos e irmãs”

Cidade do Vaticano

“A família é onde se aprende a viver com os outros e a estar em sintonia com o mundo que nos rodeia”. É uma passagem da mensagem que o Papa Francisco enviou ao diretor da FAO, José Graziano da Silva, por ocasião do início da Década das Nações Unidas para a Agricultura Familiar (2019-2028); “uma iniciativa – escreve o Pontífice – que pretende cumprir o propósito Fome Zero 2030 e alcançar o segundo dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030: "Erradicar a fome, garantir a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover uma agricultura sustentável”.

Ouça e compartilhe!

Família, modelo de partilha para uma agricultura sustentável

O Papa recorda que “a família é formada por uma rede de relações”, é um “húmus frutuoso”, “modelo de partilha para uma agricultura sustentável, que têm consequências positivas não apenas no setor agrícola, mas também para toda a humanidade e a salvaguarda do ambiente”. Nela aplica-se o princípio da subsidiariedade, “um instrumento que regula as relações”, portanto a família – explica o Pontífice – pode colaborar junto com as autoridades públicas “para o desenvolvimento das zonas rurais sem transcurar o objetivo do bem comum e dando prioridade aos que mais precisam”.

A contribuição das mulheres e dos jovens

Francisco não deixa de recordar “a contribuição específica do gênio feminino na agricultura familiar, uma contribuição significativa principalmente nos países em desenvolvimento porque as mulheres participam de “todas as fases da produção alimentar, do plantio à colheita, na gestão e no cuidado dos animais de criação e em todos os trabalhos mais pesados”. O Papa evidencia também a oportunidade de trabalho para os jovens no setor agrícola; “um setor que está se tornando estratégico para o interesse nacional de muitos países”.

Rever o sistema educativo

O convite do Pontífice é o de “rever o sistema de instrução para torná-lo mais correspondente às exigências do setor agrícola e portanto para integrar os jovens no mercado de trabalho”. “O sistema educativo – explica – deve ir além da simples passagem de conhecimentos e integrar uma cultura ecológica que deve contemplar uma visão diversa, um pensamento, uma política, um programa educativo, um estilo de vida e uma espiritualidade que formam uma resistência ao progresso do paradigma tecnocrático” como se evidencia na Laudato si.

Acabar com a fome

Fazer com que os povos tenham meios para erradicar a fome: é a exortação de Francisco que convida a unir os esforços, a trabalhar de modo tempestivo, com “uma abordagem que considere os direitos humanos fundamentais e a solidariedade intergeracional como base da sustentabilidade”. “Esta oportunidade de reflexão e de trabalho para a agricultura familiar com o objetivo de erradicar a fome – escreve o Papa – é um motivo para tornar a sociedade mais consciente das necessidades dos nossos irmãos e irmãs que não têm condições para isso”.

 

29 maio 2019, 15:45