Cerca

Vatican News
2019.02.20 Udienza Generale Encontro com a diocese de Benevento na Basílica de São Pedro   (Vatican Media)

Diocese de Benevento encontra-se com Papa Francisco: "Amar a Igreja sempre!"

A Diocese de Benevento encontrou-se com Papa Francisco na Basílica de São Pedro, para agradecer a visita pastoral (2018) do ano passado a Pietrelcina. O Papa falou da alegria da visita, do amor a Igreja e pediu aos fiéis que sejam testemunhas.

Padre Arnaldo Rodrigues - Cidade do Vaticano

Nesta manhã desta quarta-feira (20/02), o Papa Francisco recebeu na Basílica de São Pedro um grupo de 2.500 peregrinos provenientes da Diocese de Benevento. Os peregrinos estavam acompanhados pelo Bispo da diocese, Dom Felice Accrocca.

O motivo da peregrinação era agradecer ao Pontífice pela visita realizada a Pietreclina em 17 de março de 2018,  nas comemorações dos 100 anos das aparições dos estigmas permanentes de São Pio e nos 50 anos de sua morte.

Papa Francisco recebe a Diocese de Benevento

Nas suas palavras iniciais, Francisco agradeceu a calorosa acolhida recebida naquela ocasião, recordando sobretudo dos doentes que saudou. 

“ Gostaria de renovar os meus sinceros agradecimentos a todos vocês pela calorosa acolhida que me dispensaram naquela ocasião. Que a memória desse acontecimento, cheia de significado eclesial e espiritual, suscite em cada um de vocês o desejo de aprofundar a vida de fé, na esteira dos ensinamentos do ilustre e santo compatriota Padre Pio. Ele distinguiu-se pela sua fé firme em Deus, pela sua firme esperança nas realidades celestes, pela sua generosa dedicação ao povo, pela sua fidelidade à Igreja, que sempre amou com todos os seus problemas e adversidades. ”

Francisco recorda que o exemplo de São Pio deve ser imitado, pois não se cansou de difundir a caridade Divina, especialmente aos mais necessitados. "Permaneceu no meu coração aquela visita".

“ Encorajo vocês a compreenderem e a aceitarem sempre mais o amor de Deus, fonte e motivo da nossa verdadeira alegria. Somos chamados a dar este amor que muda a vida, especialmente aos mais fracos e necessitados. Cada um de nós, ao difundir a caridade divina, contribui para a construção de um mundo mais justo e solidário. A exemplo do Padre Pio, não se cansem de se entregar a Cristo e de anunciar a sua bondade e misericórdia através do testemunho de sua vida. Isto é o que homens e mulheres também em nosso tempo esperam dos discípulos do Senhor. ”

Recordando algumas características de São Pio, ressalta o seu grande amor pela Igreja, independente dos pecados de seus filhos:

“ Ele (São Pio) sempre amou a Igreja, com todos os seus problemas e suas adversidades e com os tantos pecadores, pois a Igreja é Santa, mas nós filhos da Igreja somos todos pecadores, e alguns grandes, mas ele amou a Igreja, não a destruiu com a língua, como é a moda agora. Não, não, amou. Aquele que ama a Igreja sabe perdoar, porque sabe que ele mesmo é pecador e precisa do perdão de Deus. ”

O Papa recorda que aqueles que acusam constantemente a Igreja, são considerados parentes e amigos do grande acusador: o diabo. Ele reafirma que deve-se corrigir, denunciar,  mas uma correção que não se esqueça do amor.

“ Mas não se pode viver uma vida sempre acusando, acusando, acusando a Igreja. O oficio de acusador de quem é? Quem é aquele que a Bíblia chama de grande acusador? É o diabo! E aqueles que passam a vida acusando, não digo que são filhos, mas amigos, primos, parentes do diabo. Não! Isto não está certo. Deve-se assinalar os defeitos para corrigir, mas no momento que se assinalam os defeitos, se denuncia os defeitos, também se ama a Igreja. ”

Por fim, o Santo Padre nos pede para pensarmos também em São Francisco, que dizia aos seus discípulos de andarem pelo mundo dando testemunho.

“ Testemunho! Pensem em São Francisco, que o Bispo de vocês conhece bem. O que ele disse aos seus discípulos? Vão! Deem testemunho! Não são necessárias as palavras, mas comecem com o testemunho. Vivam como cristãos, dando testemunho de que o amor é mais belo que o ódio, que a amizade é mais bela que a inimizade, que a fraternidade entre todos nós é mais bela que a guerra. ”

No final do encontro, o Santo Padre deu a todos a sua benção, pedindo que rezassem por ele, e depou caminhou pelo corredor central da Basílica cumprimentando os presentes. Em seguida foi para a Sala Paulo VI, para a tradicional audiência das quartas-feiras.

Veja um trecho do discurso do Santo Padre

***

Recordemos algumas palavras do Papa Francisco em Pietrelcina - "Encontro com os fiéis - Praça da Igreja, Pietrelcina - 17/03/2018"

Caros irmãos e irmãs de Pietrelcina e da diocese de Benevento, vós incluís São Pio entre as figuras mais bonitas e luminosas do vosso povo. Este humilde frade capuchinho surpreendeu o mundo com a sua vida, inteiramente dedicada à oração e à escuta paciente dos irmãos, sobre cujos sofrimentos derramava como bálsamo a caridade de Cristo. Imitando o seu exemplo heroico e as suas virtudes, possais tornar-vos, também vós, instrumentos do amor de Deus, do amor de Jesus pelos mais frágeis. Ao mesmo tempo, considerando a sua fidelidade incondicional à Igreja, dareis testemunho de comunhão , porque só a comunhão — ou seja, o estar sempre unidos, em paz entre nós, a comunhão entre nós — edifica e constrói.

Desejo que este território possa haurir nova linfa dos ensinamentos de vida de padre Pio num momento não fácil como o presente, enquanto a população diminui progressivamente e envelhece, porque muitos jovens são obrigados a ir para outros lugares em busca de trabalho. A migração interna dos jovens é um problema. Rezai a Nossa Senhora para que vos conceda a graça de que os jovens encontrem trabalho aqui, entre vós, perto da família, e não sejam obrigados a partir à procura de um trabalho e a aldeia decresce, decresce. A população envelhece, mas é um tesouro, os idosos são um tesouro! Por favor, não marginalizeis os idosos. Não se pode marginalizar os velhos, não. Os idosos são a sabedoria. E que os idosos aprendam a falar com os jovens, e os jovens com os velhos. Os idosos têm em si a sabedoria de uma aldeia. Quando cheguei, tive o grande prazer de saudar um homem de 99 anos, e uma “menina” de 97. É muito bonito! Eles são a vossa sabedoria! Falai com eles. Que sejam protagonistas do crescimento desta aldeia.

A intercessão do vosso santo concidadão sustente os propósitos de unir as forças, de modo a oferecer sobretudo às jovens gerações perspetivas concretas para um futuro de esperança. Não falte uma atenção solícita e cheia de ternura — como eu disse — aos idosos, que são um património incomparável das nossas comunidades. Gostaria que um dia se atribuísse o prémio Nobel aos idosos, que são a memória da humanidade.

20 fevereiro 2019, 09:27