Cerca

Vatican News

Papa: voluntários fazem o milagre da multiplicação da esperança

No estádio Rommel Fernandez, 20 mil jovens ouviram palavras de gratidão e encorajamento por parte do Santo Padre. O Papa concluiu repetindo o que disse em Cracóvia: “Não sei se estarei na próxima JMJ, mas Pedro estará lá certamente".

Bianca Fraccalvieri – Cidade do Panamá

O encontro do Papa com os voluntários encerra tradicionalmente a Jornada Mundial da Juventude. E no Panamá não foi diferente.

No estádio Rommel Fernandez, 20 mil jovens ouviram palavras de gratidão e encorajamento por parte do Santo Padre.

Fé viva, dinâmica e real

Antes de pronunciar o seu discurso, o Pontífice assistiu a uma representação moderna do anúncio do Anjo Gabriel a Maria, narrado ao som de rap e tango, com direito a um time de futebol e selfie.

Francisco ouviu também o testemunho de três voluntários, que enfrentaram e superaram momentos de dificuldade e de desânimo para poderem trabalhar na JMJ.

Ouça a reportagem

Servindo os outros, a fé adquire um sabor e uma força completamente novos: torna-se mais viva, dinâmica e real.

“Deus nos chama a fazer o que podemos e a pedir o que não podemos”, recordou Francisco, que insistiu na importância da oração.

Somente rezando é possível sentir a realidade em profundidade, “a oração dá espessura e vitalidade a tudo o que fazemos”.

Multiplicação da esperança

Muitos voluntários tiveram que renunciar aos interesses próprios em favor dos outros, tornando possível o milagre da multiplicação da esperança. Mas este esforço é recompensado:

“ Sempre que adiamos um gosto nosso pelo bem dos outros, especialmente dos mais frágeis, ou das nossas raízes, como são os nossos avós e idosos, o Senhor nos devolve na proporção de cem por um. Porque, em generosidade, ninguém O pode vencer; no amor, ninguém O pode superar. ”

Ir, contar e testemunhar

Agora, é chegado o momento do envio: ir e contar, ir e testemunhar, ir e transmitir o que vieram e ouviram.

“Tudo isto, queridos amigos, dêem a conhecer não com muitas palavras, mas – como fizestes aqui – com gestos simples do dia-a-dia, aqueles que transformam e fazem novas todas as horas.”

Ao confiar os voluntários à proteção de Nossa Senhora, o Papa concluiu com o que disse em Cracóvia: “Não sei se estarei na próxima JMJ, mas Pedro estará lá certamente e os confirmará na fé. Continuem avante com força e coragem e, por favor, não se esqueçam de rezar por mim. Obrigado!”

27 janeiro 2019, 23:08