Cerca

Vatican News

A oração do Papa às monjas de clausura

Ao final da Audiência Geral, o Papa recordou que hoje se celebra a Jornada pro Orantibus, dedicada às comunidades religiosas de clausura. Ouça a entrevista com o Cardeal João Braz de Aviz.

Bianca Fraccalvieri – Cidade do Vaticano

Ao final da Audiência Geral, o Papa recordou que hoje se celebra a memória litúrgica da Apresentação de Maria Santíssima ao Templo. Nesta ocasião, se celebra também a Jornada pro Orantibus, dedicada às comunidades religiosas de clausura.

“ Trata-se de uma ocasião mais do que nunca oportuna para agradecer ao Senhor pelo dom de tantas pessoas que, nos mosteiros e nos ermitérios, se dedicam totalmente a Deus na oração, no silêncio e no escondimento. Que não falte a essas comunidades o afeto, a proximidade e o apoio inclusive material de toda a Igreja! ”

O Dicastério para a Vida Consagrada celebra a Jornada pro Orantibus com um Congresso na Pontifícia Universidade Laternanese.

Em entrevista à RádioVaticano/Vatican News, o Prefeito, Card. João Braz de Aviz, falou da riqueza que a vida contemplativa representa para a Igreja:

Ouça a reportagem completa

O Papa Francisco enviou uma mensagem aos participantes do congresso organizado pela Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica (CIVCSVA) por ocasião da 65ª edição da Jornada Pro Orantibus, celebrada nesta quarta-feira (21/11).

Vultum Dei quaerere e Cor orans

Este ano, a iniciativa é realizada na Pontifícia Universidade Lateranense e na Basílica Papal de São João de Latrão, dedicada à apresentação de dois documentos sobre a vida contemplativa feminina: a Constituição apostólica Vultum Dei quaerere (Procurar o rosto de Deus) e a Instrução aplicativa Cor orans (Coração Orante).

“Através de vocês, saúdo todos os religiosos e religiosas que seguem Cristo na vida contemplativa, buscando o rosto de Deus, e participando da missão da Igreja, sendo nela um coração de oração”, ressalta o Papa na mensagem.

Ouça a reportagem

Apreço da Igreja pela vida contemplativa

Francisco aproveita a ocasião para manifestar mais uma vez, o grande apreço da Igreja por essa forma de vida.

“O que seria da Igreja sem a vida contemplativa? O que seria dos membros mais frágeis da Igreja que encontram em vocês um apoio para prosseguir o caminho? O que seria da Igreja e do mundo sem os faróis que indicam o porto a quem se perdeu no alto mar, sem as tochas que iluminam a noite escura que estamos atravessando, sem as sentinelas que anunciam o novo dia quando ainda é noite? Obrigado, irmãos e irmãs contemplativos por serem para o mundo: sustento aos frágeis, faróis, tochas e sentinelas. Obrigado por nos enriquecerem com muitos frutos de santidade, misericórdia e graça”, escreve o Pontífice.

Levar a sério o desafio da formação 

O Papa reza com toda a Igreja para que o Senhor realize a sua obra nos corações dos religiosos e os transforme completamente Nele, que as suas comunidades ou fraternidades sejam verdadeiras escolas de contemplação e oração. “O mundo e a Igreja precisam de vocês. Que essa seja a sua profecia”.

Francisco convida os religiosos e religiosas a levarem a sério o desafio da formação que consiste num itinerário de assimilação progressiva dos sentimentos de Cristo rumo ao Pai.

“É por isso que claramente, durando a formação a vida inteira, é preciso também aceitar com responsabilidade que a formação é um processo lento, para o qual é importante não ter pressa. Nesse contexto, recordo-lhes a importância do discernimento, do acompanhamento espiritual e vocacional das candidatas, sem nunca se deixar levar pela ânsia dos números e pela eficiência, como também da formação das formadoras e das irmãs chamadas a prestar serviço de autoridade.”

Segundo Francisco, para que a vida contemplativa seja significativa para a Igreja e para o mundo de hoje “é necessário investir numa formação adequada às exigências do momento presente: uma formação integral, personalizada e bem acompanhada. Tal formação alimentará e custodiará a sua fidelidade criativa ao carisma recebido, seja de cada uma das irmãs seja de toda a comunidade”.

21 novembro 2018, 10:53