Cerca

Vatican News
Papa Francisco e Enzo Bianchi fundador e prior Comunidade de Bose Papa Francisco e Enzo Bianchi fundador e prior Comunidade de Bose 

Papa à Comunidade de Bose: sejam testemunhas do amor evangélico

O Papa Francisco enviou nesta segunda-feira uma carta a Frei Enzo Bianchi por ocasião dos 50 anos de fundação da Comunidade monástica de Bose, que surgiu nas pegadas das orientações do Concílio Vaticano II.

Silvonei José - Cidade do Vaticano

O Santo Padre na sua carta recorda que o início simples tornou-se uma significativa missão que favoreceu a renovação da vida religiosa, interpretada como Evangelho vivido na grande tradição monástica.   

Dentro dessa corrente de graça, - escreve o Papa – a comunidade distinguiu-se no seu compromisso de preparar o caminho para a unidade das Igrejas cristãs, tornando-se lugar de oração, de encontro e de diálogo entre os cristãos, tendo em vista a comunhão de fé e de amor pelo qual Jesus rezou. 

[ Audio Embed Ouça a reportagem]     

Francisco expressa ainda a sua gratidão pelo ministério da hospitalidade que distingue a Comunidade: “acolher a todos sem distinção, crentes e não-crentes; a escuta atenta aos que buscam conforto e consolo; o serviço de discernimento aos jovens em busca de seu papel na sociedade. Os frutos produzidos por sua obra de fé e amor são muitos, e os mais conhecidos apenas pelo Senhor”, escreve o Papa.       

Diante dos desafios contemporâneos o Santo Padre encoraja a Comunidade a “ser cada vez mais testemunha do amor evangélico”, antes de tudo entre eles, vivendo a autêntica comunhão fraterna que representa o sinal, diante da Igreja e da sociedade, da vida a que foram chamados.

Os idosos da comunidade – escreve ainda - encorajem os jovens e os jovens cuidem dos idosos, tesouro precioso de sabedoria e de perseverança. Assim vocês poderão viver com grandeza de coração também com os outros, especialmente com os mais pobres de esperança. Continuem atentos aos pequeninos, aos últimos, aos peregrinos e estrangeiros: eles são os membros mais frágeis do corpo de Jesus.

Francisco conclui sua carta pedindo que este aniversário seja um momento de graça para cada um dos membros, um tempo para meditar mais intensamente sobre seu chamado e sobre sua missão, confiando-os ao Espírito Santo para que tenham firmeza e coragem em continuar com confiança o seu caminho. “Eu acompanho vocês com oração para que vocês possam perseverar em sua intuição inicial: a sobriedade da sua vida seja testemunho luminoso do radicalidade do Evangelho; a vida fraterna na caridade seja um sinal de que vocês são uma casa de comunhão onde todos podem ser acolhidos como Cristo em pessoa”.

12 novembro 2018, 12:42