Cerca

Vatican News
Papa Francisco visita Bento XVI no Mosteiro Mater Ecclesiae Papa Francisco visita Bento XVI no Mosteiro Mater Ecclesiae  (Vatican Media)

Tutela da dignidade da pessoa humana, defendem Bento XVI e Francisco

“É uma questão atual e fundamental a fim de tutelar as bases da convivência da família humana, que merece ser novamente tema de uma reflexão profunda e sistemática", destaca Bento XVI na carta.

Mariangela Jaguraba - Cidade do Vaticano

Teve início, nesta quinta-feira (15/11), em Roma, o simpósio internacional “Direitos fundamentais e conflitos entre os direitos”, promovido pela Fundação Vaticana Joseph Ratzinger-Bento XVI junto com a Universidade Lumsa (Libera Università Maria Santissima Assunta).

Para a ocasião, o Papa emérito Bento XVI enviou uma carta ao presidente da fundação Joseph Ratzinger-Bento XVI, pe. Federico Lombardi, que foi lida na abertura do evento, esta manhã.

Ouça a reportagem

Convivência da família humana

Na missiva, Bento XVI manifesta seu apreço pela iniciativa, “considerando-a extraordinariamente útil”. Segundo o Papa emérito, é importante falar claramente sobre a “problemática da ‘multiplicação dos direitos’ e do risco da ‘destruição da ideia de direito’”.

“É uma questão atual e fundamental a fim de tutelar as bases da convivência da família humana, que merece ser novamente tema de uma reflexão profunda e sistemática, conforme demostrado pelo programa do simpósio”, destaca Bento XVI na carta.

O Papa emérito manifesta aos relatores e participantes do encontro sua estima e proximidade na oração “a fim de que o Senhor abençoe os trabalhos como um serviço precioso para a Igreja e o bem da família humana”.

Remover os muros de separação

O Papa Francisco também enviou uma carta a pe. Lombardi, por ocasião do simpósio.

O Pontífice recorda o aproximar-se do aniversário de 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, sublinhando que “é oportuno não somente celebrar a memória desse evento histórico, mas também estabelecer uma reflexão profunda sobre a implementação e o desenvolvimento da visão dos direitos humanos no mundo atual”.

No discurso ao Corpo Diplomático, em janeiro passado, dedicado a essa declaração, Francisco observa que esse documento “visa remover os muros de separação que dividem a família humana e favorecer o desenvolvimento humano integral”.

O Papa destaca que “no decorrer dos anos, a interpretação de alguns direitos foi mudando progressivamente, a fim de incluir uma diversidade de novos direitos, muitas vezes em oposição um ao outro. Abre-se assim, uma série de problemas que envolvem profundamente a ideia de direito e seus fundamentos.”

A propósito de Bento XVI

Francisco recorda que “o Papa emérito Bento XVI sentiu com lucidez a urgência dessas temáticas para o nosso tempo e agiu com autoridade sobre isso como pensador e como pastor. Por isso, vinte anos atrás a Universidade Lumsa concedeu ao cardeal Ratzinger a laurea honoris causa em Jurisprudência”.

Francisco conclui a missiva, desejando que esse simpósio, obtendo inspiração do pensamento e do magistério do Papa emérito Bento XVI, “possa contribuir com coragem e profundidade a iluminar uma problemática essencial para a tutela da dignidade da pessoa humana e seu desenvolvimento integral”.

15 novembro 2018, 11:45