Cerca

Vatican News

Papa adverte para o risco do secularismo e clericalismo estéril

A Eslováquia é o terceiro país eslavo mais católico, depois da Polônia e Croácia. Prešov é a terceira maior cidade da Eslováquia, por número de habitantes.

Manoel Tavares - Cidade do Vaticano

O Santo Padre concluiu sua série de audiências na manhã deste sábado (06/10) recebendo na Sala Paulo VI, no Vaticano, cerca de 1.300 peregrinos da Igreja Greco-Católica eslovaca, por ocasião das celebrações jubilares dos 200 anos de criação da Eparquia de Prešov.

A Eslováquia é o terceiro país eslavo mais católico, depois da Polônia e Croácia. Prešov é a terceira maior cidade da Eslováquia, por número de habitantes.

Francisco iniciou seu discurso com as palavras de São João Paulo II, que esteve em Prešov em 1995, tomando a linda imagem da natureza circunstante, que bem descreve a identidade e a missão das comunidades Greco-Católicas: “Nas águas límpidas dos lagos reflete-se a grandeza majestosa dos cumes do monte Tatra”. Esta paisagem fala da beleza e da bondade do Criador, que enriquece a sua Igreja com a variedade de formas e tradições". E o Papa acrescentou:

“A Igreja Greco-Católica na Eslováquia pode considerar-se expressão da beleza e da variedade das formas de vida eclesial, que não só não prejudica a unidade da Igreja, mas a manifesta. A sua Eparquia desenvolveu-se, aos longos destes duzentos anos, e tornou-se mãe de uma nova família eclesial, gerando outras eparquias”.

Dirigindo-se de modo particular ao Metropolita e Bispos presentes, Francisco os exortou “a continuar a sua obra como guias e pastores do Povo de Deus e a difundir a bondade, paz, generosidade e mansidão, com profunda humildade e simplicidade, seguindo as pegadas de Cristo, que não veio para ser servido, mas para servir”.

Sacerdotes casados

A seguir, o Santo Padre fez também uma saudação especial aos sacerdotes eslovacos, casados, solteiros e consagrados, presentes na audiência, aos quais pediu para serem os primeiros colaboradores dos Bispos no serviço eclesial e pastoral.

Aos sacerdotes casados da Igreja Greco-católica, vindos com suas famílias, o Papa agradeceu seu trabalho, entre o Povo santo e fiel de Deus, e os encorajou:

“As famílias dos sacerdotes (casados) têm uma missão particular, nos dias de hoje, quando o próprio ideal de família é controvertido e até claramente atacado. Por isso, vocês podem dar testemunho de uma vida saudável e exemplar. Partindo da história da Igreja e das décadas de perseguição e deportações, hoje cabe à geração de vocês demonstrar fidelidade, diante das dificuldades e perigos que envolvem as famílias”.

Referindo-se ainda aos sacerdotes, como também aos seminaristas, o Papa disse que correm o risco de ser tentados por duas tendências opostas: o secularismo e o clericalismo estéril.

Por fim, ao incentivar os religiosos, masculinos e femininos, bem como aos novos movimentos eclesiais, Francisco os convidou a manter o exemplo de fidelidade à Sé Apostólica dos santos irmãos Cirilo e Metódio, Padroeiros da Europa. A este respeito, o Papa disse que “todo o continente europeu precisa redescobrir as suas raízes cristãs e a sua vocação, no pleno respeito da dignidade humana, em cada Estado e em cada fase da vida.

06 outubro 2018, 11:50