Versão Beta

Cerca

Vatican News

Migração e abusos: o primeiro discurso do Papa na Irlanda

O Castelo de Dublin acolheu as autoridades para o primeiro pronunciamento de Francisco em solo irlandês.

Bianca Fraccalvieri - Cidade do Vaticano

O conceito do conjunto das nações como uma única família humana foi o cerne do primeiro discurso pronunciado pelo Papa Francisco na Irlanda.

Diante dos membros do governo irlandês e do corpo diplomático, no Castelo de Dublin, o Pontífice recordou o motivo de sua visita, que é participar do Encontro Mundial das Famílias.

“Se falamos do mundo inteiro como de uma só família, é porque justamente reconhecemos os laços da nossa humanidade comum e intuímos a chamada à unidade e à solidariedade, especialmente em relação aos irmãos e irmãs mais vulneráveis.”

Ódio e conflitos

Entre os males persistentes que desafiam a humanidade, Francisco citou o ódio racial e étnico, os conflitos e violências, o desprezo pela dignidade humana e o crescente abismo entre ricos e pobres.

“Quanta necessidade temos de recuperar, em cada área da vida política e social, o sentido de ser uma verdadeira família de povos! E de nunca perder a esperança e a coragem de perseverar no imperativo moral de sermos obreiros de paz, reconciliadores e guardiões uns dos outros.”

Irlanda do Norte

O Papa citou em especial os 20 anos da assinatura do Acordo da Sexta-Feira Santa, que pôs fim a décadas de conflitos com a Irlanda do Norte, cujos representantes estavam presentes no Castelo de Dublin. “A paz é dom de Deus”, recordou Francisco, mas requer também uma conversão constante de nossa parte.

Migração

O Pontífice apontou a crise migratória como a questão mais desafiadora dos tempos atuais, “cuja solução exige sabedoria, perspectivas amplas e uma preocupação humanitária que ultrapasse em muito decisões políticas de curto prazo”.

Abusos

Falando dos mais vulneráveis, Francisco citou ainda o “grave escândalo causado na Irlanda pelos abusos sobre menores por parte de membros da Igreja”.

“O falimento das autoridades eclesiásticas ao enfrentarem adequadamente estes crimes repugnantes suscitou, justamente, indignação e continua a ser causa de sofrimento e vergonha para a comunidade católica. Eu próprio partilho estes sentimentos.”

O Papa afirmou que é preciso remediar os erros passados e adotar normas rigorosas para que esses casos não voltem a ocorrer. E manifestou a esperança de que os escândalos aumente a proteção de menores e adultos vulneráveis por parte de toda a sociedade.

Raízes cristãs

Francisco concluiu seu discurso recordando as raízes cristãs da Irlanda, com a pregação de Paládio e Patrício, e citou santos ilustres da Irlanda, como Colomba, Columbano, Brígida, Gallo, Killian e Brendan.

“Rezo para que a Irlanda, enquanto escuta a polifonia da discussão político-social contemporânea, não esqueça as vibrantes melodias da mensagem cristã, que a sustentaram no passado e podem continuar a fazê-lo no futuro.”

Ouça a reportagem com a voz do Papa Francisco
Veja um trecho do discurso do Santo Padre
25 agosto 2018, 13:53