Versão Beta

Cerca

Vatican News
"Que a ilusão gnóstica não desoriente vocês", foram os votos de Francisco na mensagem "Que a ilusão gnóstica não desoriente vocês", foram os votos de Francisco na mensagem  (AFP or licensors)

Papa às Comunidades de Vida Cristã: só o amor de Cristo satisfaz o coração humano

Na mensagem aos participantes do encontro em Buenos Aires, o Papa recorda que "contemplação e ação", são duas dimensões que devem andar juntas, "porque só podemos entrar no coração de Deus através das feridas de Cristo e sabemos que Cristo está presente nos famintos, nos ignorantes, nos descartados, nos idosos, nos doentes, nos prisioneiros e em toda a carne humana vulnerável".

Gabriella Ceraso e Jackson Erpen - Cidade do Vaticano

"Rezar e refletir para que o Senhor conceda uma maior profundidade ao viverem o seu carisma", de modo a continuar a ser "um presente para a Igreja e para o mundo".

Ouça e compartilhe!

Palavras do Papa Francisco na mensagem enviada a Mauricio López, presidente do Conselho Executivo Mundial das Comunidades da Vida Cristã (CVX), reunidas em Buenos Aires na Assembleia Mundial nos cinquenta anos de sua fundação.

Que a ilusão gnóstica não desoriente

 

Aos 250 participantes, provenientes de 70 países - reunidos até o dia 31 de julho com o tema "Cuidar do dom que recebemos e oferecê-lo com alegria" - Francisco recorda antes de tudo o "dom" e a "graça" recebidos do Senhor ao longo dos anos e exorta todos a um humilde agradecimento, "porque Jesus percebeu vocês e confiou em vocês", "independentemente de suas qualidades e virtudes”.

"Isto – sublinha o Papa -  supõe um chamado e uma responsabilidade, para sair de vocês mesmos e irem ao encontro dos outros, para alimentá-los com o único pão capaz de satisfazer o coração humano: o amor de Cristo”.

Que a "ilusão gnóstica - são os votos do Pontífice na mensagem – não desorientem vocês”.

Cristo está na carne humana vulnerável

 

Francisco recorda que no centro da "espiritualidade inaciana" na qual se inspira a comunidade, existe o desejo de "ser contemplativos na ação".

"Contemplação e ação, as duas dimensões juntas" enfatiza o Santo Padre,  "porque só podemos entrar no coração de Deus através das feridas de Cristo e sabemos que Cristo está presente nos famintos, nos ignorantes, nos descartados, nos idosos, nos doentes, nos prisioneiros e em toda a carne humana vulnerável".

Deixar-se plasmar pelo amor de Jesus

 

Este "estilo de vida cristã", salienta novamente o Papa, feito de "intensa vida espiritual" e de "trabalho", significa "deixar-se plasmar pelo amor de Jesus, tendo os mesmos sentimentos, constantemente perguntando a si mesmo: o que eu faço por Cristo? O que eu fiz por Cristo? O que devo fazer por Cristo?”.

Uma experiência de consolação!
29 julho 2018, 09:55