Versão Beta

Cerca

Vatican News

Papa Francisco no Instituto Ecumênico de Bossey

O Papa Francisco almoçou no Instituto Bossey, trocou presentes e encontrou um grupo de estudantes.

Cidade do Vaticano

Após a Oração Ecumênica no Centro Ecumênico em Genebra, o Papa Francisco dirigiu-se ao Instituto Ecumênico de Bossey, distante 18 km, onde almoçou com 9 membros do CMI, o cardeal Kurt Koch e um intérprete.

Às 13h30, a troca de presentes no jardim. O CMI ofereceu a Francisco duas pequenas garrafas com um pouco de água para simbolizar que o acesso à água é um direito humano, um bem comum que não deveria ser privatizado.

Este presente também se refere aos esforços que devem ser feitos para reduzir o consumo de água engarrafada, devido aos seus efeitos nocivos sobre o meio ambiente.

Esse posicionamento do CMI estava contido em uma carta que acompanhava as garrafas entregues ao Pontífice.

O outro presente consistiu em uma cruz de madeira esculpida por um jovem queniano com deficiência auditiva e que traz três símbolos da deficiência: física, cegueira e surdez.

O Papa Francisco, por sua vez, presenteou  o CMI com uma pequena escultura em madeira da crucificação e uma placa comemorativa da "peregrinação ecumênica"  realizada pelo Santo Padre com esta viagem.

Francisco também visitou a Capela Ecumênica, onde estavam presentes cerca de 30 estudantes do Instituto. Na entrada, o Papa recebeu flores, que colocou aos pés do altar.

O Instituto de Bossey é um centro internacional de encontro, diálogo e formação do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), com sede no Castelo de Bossey, do século XVIII, e localizado entre as cidades de Versoix e Nyon.

Desde a Idade Média esta pequena região é conhecida localmente como “terra santa”, devido a sua história cristã.

A cada ano o Instituto recebe estudantes e pesquisadores de todo o mundo, pertencentes a diversas igrejas, culturas e origens, no comum interesse pelo ecumenismo, pelos estudos acadêmicos e trocas culturais.

21 junho 2018, 15:41