Versão Beta

Cerca

VaticanNews
2018.04.24 FOTO CONFERENZA STAMPA VISITA PAPA A NOMADELFIA Cemitério de Nomadélfia onde está o túmulo de Padre Zeno 

Visita do Papa a Nomadélfia: esperado por mais de 4 mil pessoas

Papa Francisco visitará nesta quinta-feira (10/05) a Comunidade de Padre Zeno Saltini em Nomadélfia nas proximidades de Grosseto. Durante a visita, visitará um grupo de familiares e encontrará os nomadelfos.

Cidade do Vaticano

Mais de 4 mil pessoas esperam o Papa nesta quinta-feira (10/05) em Nomadélfia, comunidade fundada pelo Pe. Zeno Saltini em 1947.

O Papa Francisco chegará logo depois das 8 horas de helicóptero no campo esportivo de Nomadélfia, onde será acolhido pelo bispo D. Rodolfo Cetoloni, pelo padre Ferdinando Ner, sucessor de Pe. Zeno e Francesco Materazzo, presidente da Comunidade. Depois irá diretamente ao cemitério onde fará uma oração junto ao túmulo de Pe. Zeno. Em seguida visitará o grupo familiar “Il Poggetto”. Estes serão momentos estreitamente privados: portanto sem a presença de jornalistas e fotógrafos. Depois do encontro com o grupo familiar, o Santo Padre encontrará os fiéis na Sala Padre Zeno. Os jovens farão danças em sua homenagem e o Papa fará um discurso a todos. Antes de partir para Loppiano, segunda etapa da sua viagem, o Papa fará uma saudação na parte externa do local.

Bispo Cetoloni: é uma experiência de santidade

Para o bispo de Grosseto, D. Rodolfo Cetoloni “é belo e significativo que o Papa venha a Nomadélfia poucas semanas depois de publicar a sua exortação sobre a santidade. Esta é uma experiência de santidade não porque os que moram aqui automaticamente são santos, mas porque adverte que a originária aspiração, que está no coração do homem, ou seja, a felicidade plena, pode ser realizada em Nomadélfia. Por isso a visita do Papa é uma ocasião programada para confirmar o valor e a perene atualidade do Evangelho vivido em fraternidade, mas também ocasião providencial para desafiar as nossas preguiças, os nossos hábitos mesmo eclesiais”.

Os Papas e Nomadélfia

“O Santo Padre – diz Francesco Matterazzo, presidente de Nomadélfia – reconhecerá em Pe. Zeno um grande amor pela Igreja, grande obediência, uma caridade fundada na grande fé e esperança para os que combatem com Cristo, e vencem mesmo quando perdem”. Desde a sua fundação, as relações entre os Papa e os nomadelfos sempre foi muito intensa. Já encontraram em audiências no Vaticano os Papas Pio XII, Paulo VI e Bento XVI. João Paulo II visitou Nomadélfia em 21 de maio de 1989, na ocasião encontrou um grupo familiar, batizou uma criança e falou para mais de 4 mil fiéis. Em 31 de janeiro de 2014, foram recebidos pelo Papa Francisco em audiência privada a mãe Irene e Pe. Ferdinando, e depois em 17 de dezembro de 2016, quando o Papa completou 80 anos, encontrou a população da Comunidade na Sala Clementina no Vaticano.

09 maio 2018, 11:20