Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Líderes  coreanos Líderes coreanos 

O Papa reza pela paz entre as duas Coreias

A esperança, após a cúpula entre os dois países na última sexta-feira, é de um diálogo sincero sem armas nucleares

Silvonei José - Cidade do Vaticano

“Acompanho com a oração o resultado positivo da Cúpula Inter-coreana da última sexta-feira e o corajoso compromisso assumido pelos Líderes das duas Partes para realizar um caminho de diálogo sincero em prol de uma Península Coreana livre de armas nucleares. Rezo ao Senhor para que as esperanças de um futuro de paz e mais fraterna amizade não sejam desiludidas, e para que a colaboração possa prosseguir produzindo frutos para o amado povo coreano e para o mundo inteiro”.

Este é o desejo e a oração do Papa Francisco, entre os aplausos dos fiéis, na conclusão do Regina Coeli deste domingo. Depois do histórico encontro de sexta-feira entre os presidentes das duas Coreias, no vilarejo de fronteira de Panmunjom, de fato, há um otimismo sobre um futuro de paz entre os dois países, ainda formalmente em guerra desde 1950.

Fecha neste mês de maio o local dos testes nucleares

Como revelou à imprensa o porta-voz do presidente sul-coreano, o líder da Coreia do Norte Kim Jong-on prometeu fechar o local de testes nucleares de Punggye-ri até o mês de maio, onde nos últimos 10 anos foram realizadas as seis experimentações atômicos norte-coreanas. O fechamento do local será de forma pública, na presença de especialistas em segurança estadunidenses e sul-coreanos e de jornalistas.

Não ao nuclear e paz com os EUA

Precisamente sobre os Estados Unidos, que nestes dias estão trabalhando para fixar uma data e um lugar para a cúpula com a Coreia do Norte, Kim Jong-Un reiterou ser ele "por natureza contrário aos EUA", mas de não ser "o tipo de pessoa que lança ogivas nucleares contra a Coreia do Sul, Pacífico ou os Estados Unidos". A intenção é de não replicar "a dolorosa história da Guerra da Coreia" e renunciar ao nuclear. "Por que eu deveria manter armas nucleares e viver em condições difíceis ao contrário de nos reunirmos com os estadunidenses para construir a confiança mútua, se eles prometerem acabar com a guerra e de não nos invadirem?", disse o líder de Pyongyang.

Uniformizado o fuso horário

Entre outras medidas que serão realizadas está a uniformidade do fuso horário entre as duas Coreias. A partir de agosto de 2015, o Norte tinha passado das nove horas do meridiano de Greenwich adotadas pela Coreia do Sul e Japão às oito horas e meia, como era na península coreana antes da invasão japonesa de 1910.

Ouça a reportagem
29 abril 2018, 13:38