Cerca

Vatican News
Papa recebe membros da Universidade de Villanova (EUA) Papa recebe membros da Universidade de Villanova (EUA)  (Vatican Media)

Papa: busca da sabedoria e combate às desigualdades e injustiças

Francisco falou do papel das Universidades ao receber delegação da Universidade Villanova, em Filadélfia.

Manoel Tavares – Cidade do Vaticano

O Santo Padre concluiu suas atividades na manhã de sábado (14/04) recebendo na Sala Clementina, no Vaticano, uma delegação de 70 pessoas da Universidade Villanova, em Filadélfia (EUA).

Esta Universidade, fundada em 1842, é o maior e mais antigo Ateneu católico da Pensilvânia e conta quase 6.500 estudantes.

Sabedoria

Em sua saudação aos presentes, o Papa destacou a importância da Universidade Villanova:

“ Como herdeira da grande ‘escola agostiniana’, inspirada na busca da sabedoria, sua Universidade foi fundada para preservar e transmitir a riqueza da tradição católica às novas gerações, que, como o jovem Santo Agostinho, buscam o verdadeiro significado e valor da vida. ”

Neste sentido, explicou ainda Francisco, esta Universidade, como comunidade de pesquisa e estudo, deve confrontar-se também com os complexos desafios éticos e culturais que surgem das mudanças no nosso mundo.

E exortou: “Espero que, em todos os aspectos da sua vida e missão, a Universidade Villanova possa perseverar no seu compromisso de comunicar os valores intelectuais, espirituais e morais, que levam os jovens a participar, com sabedoria e responsabilidade, dos grandes debates para a construção do futuro da sociedade”.

Combater desigualdades e injustiças

Porém, frisou o Papa, um aspecto urgente deste compromisso educativo é “o desenvolvimento de uma visão universal, católica, da unidade da família humana e o esforço concreto para combater as graves desigualdades e injustiças”. 

E recordou: “As universidades, pela própria natureza, são chamadas a ser laboratórios de diálogo e de encontro a serviço da verdade, da justiça e da defesa da dignidade humana, em todos os níveis. Uma instituição católica como esta deve contribuir para a missão da Igreja: promover o crescimento autêntico e integral da família humana rumo à sua plenitude definitiva em Deus”.

Santo Agostinho

Ao término do seu pronunciamento, o Papa Francisco citou o exemplo de Santo Agostinho, que conhecia a inquietude do coração humano enquanto não descansa em Deus; ele nos revela a verdade mais profunda da nossa vida e do nosso destino final.

“Que estes dias de reflexão, debate e encontro, em Roma, - concluiu Francisco, - possam confirmar o compromisso desta Universidade em prol da verdade, que nos torna livres”.

Ouça a reportagem com a voz do Papa Francisco
14 abril 2018, 12:36