Versão Beta

Cerca

Vatican News
Dos dezesseis novos presbíteros, onze para a Diocese de Roma Dos dezesseis novos presbíteros, onze para a Diocese de Roma  (Vatican Media)

Papa Francisco ordenará dezesseis sacerdotes no próximo domingo

Os novos presbíteros – refere uma nota do Vicariato – pronunciarão seu “sim” no IV Domingo de Páscoa, também chamado domingo do Bom Pastor. O "chamado" de Deus foi para todos fonte de gratidão e esperança.

Cidade do Vaticano

No próximo domingo, 22 de abril, 55º Dia mundial de oração pelas vocações, Francisco presidirá na Basílica de São Pedro, às 9h15 locais, à missa de ordenação presbiteral de 16 diáconos. A Eucaristia será concelebrada, entre outros, pelo vigário do Papa para a Diocese de Roma, Dom Angelo De Donatis.

Domingo do Bom Pastor

Os novos presbíteros – onze para a Diocese de Roma, refere uma nota do Vicariato – pronunciarão seu “sim” no IV Domingo de Páscoa, chamado domingo do Bom Pastor. Seis deles foram formados no Colégio diocesano Redemptoris Mater, cinco estudaram no Seminário Romano Maior, quatro pertencem à Família dos Discípulos e um à Pequena Obra da Divina Providência (Don Orione) e fez seu percurso formativo na Paróquia romana de Todos os Santos.

Chamado do Senhor, fonte de gratidão e esperança

Eles têm diferentes origens, experiências de vida e carismas, mas o “chamado” foi para todos fonte de gratidão e esperança. Foi para dizer a Deus meu “obrigado” que escolhi o caminho do sacerdócio, contou ao semanário diocesano Roma Sete o jovem Thierry Randrianantenaina, 27 anos, originário de Madagáscar e estudante do Redemptopris Mater.

“O matrimônio de meus pais se salvou por pura graça: foi um sinal de fidelidade que o Pai me fez experimentar em minha vocação e que até hoje é semente de esperança em meu futuro ministério”, disse o jovem malgaxe. O pai teve um problema de alcoolismo que incidiu no equilíbrio familiar, mas “o acompanhamento da Igreja, em particular com a experiência do Caminho neocatecumenal, fez-nos experimentar a misericórdia de Deus”, disse.

Vocação amadurecida no Caminho neocatecumenal

Também a vocação de Juraj Bašković, 37 anos, croata, amadureceu no seio do Caminho neocatecumenal junto à de outros quatro ordenandos: os coetâneos Phaolo Do Van Tan, originário do Vietnã, e Thein Lwin , de Mianmar; o colombiano  Fabio Alejandro Perdomo Lizcano, de 1982; e Moises Pineda Zacarias, nascido em San Salvador em 1990.

Renato Tarantelli Baccari, da Paróquia romana São José, 41 anos, é o mais velho dos cinco ordenandos do Seminário Romano Maior: “Minha vocação tardia chegou depois que já havia direcionado a minha vida afetiva e profissional como docente de Direito tributário”; nove anos atrás “uma experiência avassaladora”, qual o caminho de Lourdes a Santiago, “me fez entender que queria, e tinha me tornado, algo de diferente. Senti-me amado por uma doçura e uma ternura jamais experimentadas: o Senhor me surpreendeu e me surpreendi a mim mesmo encontrando a coragem, sem reservas, de dizer ‘sim’ a Seu chamado”.

Jamais percam o entusiasmo da evangelização

Também Gabriel Nasca, da Paróquia romana de Nossa Senhora das Dores, 29 anos, sentiu “cair as defesas e desmoronar os medos diante do chamado do Senhor”; assim como se deu também com Emilio Cenani, 32 anos, e os diáconos Massimo Cunsolo, 28 anos, e Miguel Ferrari, 26 anos.

O reitor do Seminário Romano Maior desde setembro último, Pe. Gabriel Feraghini, se diz “grato por colher estes frutos que não plantei e nem contribui a fazer crescer”, e auspicia aos novos sacerdotes de “que jamais percam o entusiasmo da evangelização, continuando a amar o Pastor e suas ovelhas”.

17 abril 2018, 17:40