Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Papa Francisco em oração durante audiência geral Papa Francisco em oração durante audiência geral  (Vatican Media)

Atentado no Equador. Papa: violência injustificada

O atentado de Mataje foi o quarto ataque terrorista perpetrado no norte do Equador desde 23 de janeiro passado, quando um carro-bomba destruiu a sede da Polícia em São Lourenço.

Cidade do Vaticano

Três soldados morreram e sete ficaram feridos num atentado terrorista, em Mataje, província de Esmeraldas, Equador, após a explosão de uma bomba artesanal.

“Desaprovação firme deste novo episódio de violência injustificada”, escreve o Papa Francisco numa mensagem assinada pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin, na última quarta-feira (21/03).  

Segundo a Agência Sir, o texto foi enviado ao presidente da Conferência Episcopal Equatoriana, Dom Eugenio Arellano, vigário apostólico de Esmeraldas.

Trabalhar pela convivência pacífica

Na mensagem, publicada no site da Conferência Episcopal Equatoriana, lê-se que o Papa Francisco “eleva a Deus suas orações pelo descanso eterno das vítimas” e “manifesta sua proximidade” aos familiares.

O Pontífice “convida todos a rezar e a se esforçar para que naquela região, marcada por esses acontecimentos tristes, volte logo a convivência serena na paz e confiança”.

Cronologia dos atentados

O atentado de Mataje foi o quarto ataque terrorista perpetrado no norte do Equador desde 23 de janeiro passado, quando um carro-bomba destruiu a sede da Polícia em São Lourenço.

Na ocasião, houve trinta feridos e cerca de 40 casas foram danificadas. O governo intensificou a presença do Exército na área e declarou o narcoterrorismo um “problema nacional”.

Todo ataque terrorista é um ato covarde

Dom Arellano também condenou o ataque: “A vida é sagrada e a paz é um dom de Deus. Todo ataque terrorista é um ato covarde que deve ser condenado por todos”.

Segundo o presidente do episcopado equatoriano, é importante que as Forças Armadas e o Governo protejam os cidadãos, “a fim de evitar que a violência se torne uma constante no país e numa província como Esmeraldas, onde sempre houve paz e tranquilidade”.

Atentado no Equador
23 março 2018, 14:13