Versão Beta

Cerca

Vatican News
Cardeal Ezzati dá as boas-vindas ao Papa Francisco Cardeal Ezzati dá as boas-vindas ao Papa Francisco 

Cardeal Ezzati: Papa vem trazer a paz a pessoas que precisam tanto

O purpurado recordou que Francisco “irá ao sul do país onde não somente encontrará um povo nativo que deseja ardentemente sua dignidade e o reconhecimento, mas também uma região na qual a pobreza é significativa”.

Cidade do Vaticano

“Dias atrás vimos algumas bombas lançadas em cinco comunidades cristãs, mas aquilo que vimos hoje é muito mais forte.” Foi o que disse na tarde de sábado (13/01) o arcebispo de Santiago, cardeal Ricardo Ezzati Andrello, no início da celebração da “Missa de envio” celebrada na Movistar Arena, da qual participaram nove mil pessoas, todas elas voluntários que se colocaram à disposição dos peregrinos que chegaram a Santiago do Chile para acompanhar a visita do Papa Francisco.

As várias etapas da visita do Papa a Santiago

O encontro dos voluntários foi o primeiro grande evento à espera da chegada do Papa esta segunda-feira (15/01). Uma festa animada com cantos, danças e testemunhos. A missa foi concelebrada por todos os bispos e auxiliares do Chile e a homilia foi pronunciada pelo presidente da Conferência Episcopal Chilena.

Numa coletiva de imprensa na Movistar Arena, o arcebispo de Santiago repercorreu as várias etapas da viagem de Francisco na cidade de Santiago, em particular, a visita ao cárcere feminino no qual “o Papa vem trazer a paz a pessoas que precisam realmente tanto. Irá também ao Lar de Cristo em meio aos mais pobres da nossa cidade, trazer o dom da paz, convidando todos nós a ser solidários com quem mais necessita”, ressaltou.

Em seguida, o cardeal Ezzati referiu-se ao encontro do Papa com os jovens em Maipú, “para convidá-los a construir a civilização do amor, da solidariedade, do acolhimento, da cultura do encontro”.

O purpurado recordou também que Francisco “irá ao sul do país onde não somente encontrará um povo nativo que deseja ardentemente sua dignidade e o reconhecimento, mas também uma região na qual a pobreza é significativa”.

A etapa Iquique se realizará, por sua vez, no signo da “devoção popular” à Virgem do Carmo, sendo esta região do Norte, próxima do Peru e Bolívia. O Papa lançará um “convite a construir a paz, harmonia e solidariedade”, acrescentou o purpurado.

(Agência Sir)

16 janeiro 2018, 09:15