Versão Beta

Cerca

VaticanNews
CHILE-POPE-VISIT CHILE-POPE-VISIT  (AFP or licensors)

Papa despede-se do Chile

As despedidas no Aeroporto internacional de Iquique

Cidade do Vaticano

O Papa Francisco despediu-se do Chile esta quinta-feira. Às 16h50,  hora local, o Airbus A321 da Latam decolou do Aeroporto internacional “Diego Aracena” de Iquique, rumo ao Aeroporto internacional de Lima, distante 1.200 quilômetros.

Ao chegar no aeroporto, o Pontífice foi acolhido na Sala Vip pela presidente Michelle Bachelet, com quem conversou  por alguns minutos. Após passou em revista a Guarda de Honra e saudou as delegações.

Agradecimento do Papa

 

O último compromisso público do Santo Padre em terras chilenas foi a celebração da Santa Missa no Campo Lobito, em Iquique. A presidente chilena participou da celebração.

No final da celebração, Francisco agradeceu a Dom Guillermo Vera Soto, Bispo de Iquique, pelas as amáveis palavras que lhe dirigiu em nome de seus irmãos bispos e de todo o povo de Deus no Chile. Agradeçeu ainda a Presidente Michelle Bachelet pelo convite para visitar o país.

O Santo Padre expressou de modo especial a sua gratidão a todos aqueles que tornaram possível a visita: às autoridades civis e, na pessoa delas, cada funcionário que, com profissionalismo, contribuiu para que todos pudessem desfrutar deste tempo de encontro.

Obrigado também - disse Francisco - pelo trabalho sacrificado e silencioso de milhares de voluntário: "sem o seu comprometimento e colaboração, teriam faltado as vasilhas com água para que o Senhor pudesse fazer o milagre do vinho da alegria. Obrigado a quantos, de muitas maneiras e formas, acompanharam esta peregrinação, especialmente com a oração. Sei do sacrifício que tiveram de fazer para participar nas celebrações e encontros. Aprecio-o e agradeço-o de coração. Obrigado aos membros da comissão organizadora. Todos trabalharam! Muito obrigado".

O Santo Padre destacou em seguida que a sua peregrinação continuaria agora no Peru. "Povo amigo e irmão desta Pátria Grande que estamos convidados a cuidar. Uma Pátria que encontra a sua beleza no rosto pluriforme dos seus povos".

E concluiu: "Queridos irmãos, em cada Eucaristia, dizemos: Olhai, Senhor, para a «fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a paz, segundo a vossa vontade». Que mais posso desejar-vos do que terminar a minha visita dizendo ao Senhor: Olhai a fé desse povo e dai-lhe a união e a paz". A última palavra foi para que não se esqueçam de rezar por ele.

Santuário Nossa Senhora de Lourdes

 

Após a celebração, o Pontífice e séquito transferiram-se para a Casa de Retiros do Santuário Nossa Senhora de Lourdes, dos Padre Oblatos – distante 12 km – onde almoçaram.

O Papa foi acolhido pelo Reitor e por dois sacerdotes da Casa, que o acompanharam até a igreja, onde foi homenageado com flores por três crianças. Na igreja também estavam dez pessoas enfermas e 2 familiares das vítimas da repressão dos anos 70.

Vítimas da ditadura

 

O Papa saudou Héctor Marín Rossel, presidente da Agrupación de Familiares de Ejecutados Políticos y Detenidos Desaparecidos de Iquique y Pisagua (Afepi). Seu irmão, Jorge, foi sequestrado em 28 de setembro de 1973, quando tinha 19 anos.

Ele entregou ao Papa uma carta onde descrevia os esforços do grupo para encontrar familiares desaparecidos, contando com a colaboração das forças armadas e do governo chileno.

Héctor, ademais, manifestou o seu apreço pela grande obra de promoção e defesa dos direitos humanos da Igreja no Chile.

Antes de partir para o aeroporto, Francisco posou para três fotos com um grupo de seminaristas, de Irmãs Salesianas Missionárias – que serviram o almoço – e com alguns membros do Comitê organizador local da viagem.

Por fim, o Papa saudou do papamóvel os sacerdotes que o aguardavam na saída.

No local, construído no início do século XX por desejo do vigário apostólico de Tarapacá e futuro primeiro cardeal, Dom Maria Caro, existe uma reprodução da célebre gruta de Massabielle, em Lourdes.

Desde 1949 o Santuário foi confiado aos Missionários Oblatos de Maria Imaculada (OMI), Congregação Missionária fundada em 1816 na França, por S. Eugène de Mazenod, para a evangelização das populações pobres das áreas rurais.

Photogallery

Papa despede-se do Chile
18 janeiro 2018, 16:17