Versão Beta

Cerca

VaticanNews
Em Temuco e Iquique a serem visitadas pelo Papa, realidades de periferias geográficas e sociais Em Temuco e Iquique a serem visitadas pelo Papa, realidades de periferias geográficas e sociais  (AFP or licensors)

Iquique, mais uma 'periferia' que aguarda o Papa

No âmbito da viagem apostólica ao Chile e Peru, em que Francisco visitará de 15 a 22 de janeiro Santiago, Temuco e Iquique no Chile e Lima, Trujillo e Puerto Maldonado no Peru, a jornalista Maria Dulce Araújo Évora entrevistou para o Vatican News o bispo de Iquique, Dom Guillermo Vera Soto.

Cidade do Vaticano

No âmbito da viagem apostólica ao Chile e Peru, em que Francisco visitará de 15 a 22 de janeiro Santiago, Temuco e Iquique no Chile e Lima, Trujillo e Puerto Maldonado no Peru, a jornalista Maria Dulce Araújo Évora entrevistou para o Vatican News o bispo de Iquique, Dom Guillermo Vera Soto.

Realidade desértica e andina

No norte do Chile, em meio ao deserto e perto do mar, se encontra a cidade de Iquique, com 300 mil habitantes. Esta ‘periferia’, mais uma escolhida como meta pelo próprio Papa, está pronta para recebê-lo no dia 18 de janeiro.

A pequena cidade faz parte da província eclesiástica de Antofagasta e se prepara para receber fiéis do sul do Peru, da Bolívia e do norte da Argentina.

Pela primeira vez a visita de um Papa

Será a primeira vez que um Papa visita esta diocese andina e remota, onde ele celebrará uma missa no Campus Lobito, visitará o Santuário de Nossa Senhora de Lurdes e encontrará um grupo de pessoas enfermas, para rezarem juntos.

Na entrevista ao Vatican News, Dom Guillermo descreve a situação sócio-eclesial e econômica daquela realidade:

“Iquique cresceu muito nos últimos anos em número de habitantes. 25 anos atrás, uma forte corrente migratória veio do Peru e já está bem inserida e recentemente, muitos têm chegado da Colômbia, Equador e também de Venezuela, Cuba e Haiti. É uma comunidade cosmopolita e o foi desde o início, quando aqui chegaram chineses, croatas, espanhóis, italianos e ingleses, para trabalhar. Por ter zona franca, comerciantes provêm da Coreia, do Paquistão e da Índia e assim, temos mesquitas e templos hindus”.

“Também há situações de grande pobreza: faltam moradias para os chilenos e para os migrantes que estão chegando".

“ Há situações de invasão de terras. As pessoas sem-casa ocupam terrenos no deserto e começam a construir com a esperança de que com o tempo, possam ter algo mais digno ”

“Neste contexto, o fato que o Papa visite precisamente Iquique faz que sua mensagem tenha uma centralidade nesta realidade da migração no mundo e no nosso país. Será um chamado a abrir nosso coração para acolher e compartilhar com nossos irmãos que têm direito de buscar um lugar onde viver em paz e progredir”.

Proximidade e solidariedade aos migrantes

“É uma constante na pregação do Papa e aqui ganhará força entre nós e marcará também uma motivação para as autoridades e a sociedade para dar possiblidades a estas pessoas – e a todos – de poder viver numa realidade mais justa e equitativa, como todo filho e filha de Deus merece”.

A ferida dos abusos sexuais

A Diocese de Iquique é uma das dioceses do mundo que teve problemas sérios com a pedofilia. O Papa atual e seus predecessores procuraram combater o fenômeno, mas a Igreja ainda sofre com isso. É um capítulo do passado ou deixou consequências nas pessoas e na sociedade de Iquique em relação à Igreja?

“Certamente são situações que causaram dor no coração da Igreja e da nossa sociedade. Algumas pessoas se afastaram por este motivo. Fiquei tocado quando cheguei aqui, anos depois destes momentos tão difíceis e sentir que precisamente esta religiosidade do povo, inclusive o carinho por seus pastores, manteve o povo no seguimento do Senhor”. 

Ouça e compartilhe
11 janeiro 2018, 13:13