Busca

Vatican News
Trabalho infantil Trabalho infantil 

O trabalho infantil em aumento após 20 anos de progressos

As agências da ONU para o trabalho e a infância lançam o alarme para o aumento do trabalho infantil constatado em 2020. Mais de 160 milhões de crianças no mundo passam seus dias no trabalho, um fenômeno mais difundido na África e nas áreas rurais. Para o Unicef a Covid e o consequente fechamento das escolas restringiram os direitos da infância

Marco Guerra – Vatican News

Após uma tendência descendente que durou quase vinte anos, o flagelo do trabalho infantil voltou a crescer globalmente em 2020, é a denúncia da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Unicef, em um relatório intitulado "Trabalho infantil: estimativas globais para 2020, tendências e o caminho a seguir" divulgado hoje, poucos dias antes do Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, celebrado no dia 12 de junho.

Ouça e compartilhe!

Trabalhos perigosos em aumento

De acordo com os dados coletados na pesquisa, o número de crianças envolvidas no trabalho infantil chegou a 160 milhões no mundo todo, representando um aumento de 8,4 milhões de crianças nos últimos quatro anos. Um número muito alarmante também à luz do fato de que, entre 2000 e 2016, havia diminuído em 94 milhões o número de crianças exploradas para trabalhar. Entre outras coisas, houve um aumento no número de "crianças trabalhadoras" entre 5 e 11 anos de idade, enquanto o número de crianças envolvidas em trabalhos perigosos, uma definição que inclui o trabalho que provavelmente prejudicará sua saúde, chegou a 79 milhões.

A Covid coloca em risco o progresso

A África Subsaariana é a área com o maior aumento de crianças exploradas no trabalho. Devido a crises recorrentes, pobreza extrema e medidas de proteção social inadequadas, mais 16,6 milhões de crianças foram exploradas em trabalho nesta parte do continente africano. O relatório continua apontando que mesmo em regiões onde houve progresso nos anos anteriores desde 2016, como Ásia-Pacífico e América Latina e Caribe, a Covid-19 está colocando em risco essas conquistas. A Organização Internacional do Trabalho e o Unicef advertem que mais 9 milhões de crianças estão em risco devido ao impacto da pandemia do coronavírus, e um modelo de simulação mostra que este número pode aumentar para 46 milhões se elas não tiverem acesso à cobertura de proteção social.

O Unicef pede aos governos que façam um esforço

"Estamos perdendo terreno na luta contra o trabalho infantil e o último ano não facilitou essa luta", disse Henrietta Fore, diretora executiva do Unicef. "Com o fechamento de escolas, dificuldades econômicas e orçamentos nacionais reduzidos em todo o mundo, as famílias estão sendo forçadas a fazer escolhas dolorosas", acrescentou a diretora. "Pedimos aos governos e aos bancos internacionais de desenvolvimento que priorizem investimentos em programas que possam tirar as crianças da força de trabalho e voltar à escola”.

 

 

11 junho 2021, 09:35