Busca

Vatican News

Nicarágua. Cardeal Brenes: juízes "tomem decisões de acordo com a verdade"

O cardeal Brenes pediu para que se reze pelos "juízes na delicada missão de garantir a justiça, a fim de que todos sejam guiados pelo Espírito que sempre nos conduz à verdade, para que todos os seus julgamentos e decisões estejam de acordo com a verdade". Em prisão domiciliar, Cristiana Chamorro, que segundo a imprensa local tem popularidade suficiente para vencer as eleições presidenciais de 7 de novembro próximo, foi impedida pelo poder judiciário de concorrer às eleições. Chamorro diz que investigação contra ela é "uma farsa"

Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe!

O arcebispo de Manágua, na Nicarágua, cardeal Leopoldo Brenes, pediu ao país, predominantemente católico, que reze para que os juízes tomem decisões "ligadas à verdade", em referência ao caso da candidata presidencial Cristiana Chamorro Barrios, que ele não mencionou, a qual é acusada de presumível "gestão abusiva e falsidade ideológica, em concorrência com a lavagem de dinheiro, propriedade e bens".

Juízes julguem e decidam de acordo com a verdade

Durante a missa dominical de 6 de junho, transmitida pelo Canal católico da Nicarágua diretamente da casa do purpurado devido à pandemia da Covid-19, o cardeal Brenes pediu para que se reze pelos "juízes na delicada missão de garantir a justiça, a fim de que todos sejam guiados pelo Espírito que sempre nos conduz à verdade, para que todos os seus julgamentos e decisões estejam de acordo com a verdade".

No vídeo enviado à agência missionária Fides através das mídias sociais, o cardeal Brenes disse sentir "a preocupação de muitos irmãos, que com grande tristeza veem quantos de nossos concidadãos são convocados e interrogados".

Excluída das eleições e em prisão domiciliar

Em Manágua, a filha da ex-presidente Violeta Barrios de Chamorro (1990-1997), acusada pelo Ministério Público, está sob prisão domiciliar desde 2 de junho.

Cristiana Chamorro Barrios, que segundo a imprensa local tem popularidade suficiente para vencer as eleições gerais de 7 de novembro próximo, foi assim impedida pelo poder judiciário de concorrer às eleições, nas quais o presidente Daniel Ortega está buscando sua terceira reeleição para um quarto mandato consecutivo.

Líder da oposição diz que investigação contra ela é uma farsa

O Ministério Público convocou jornalistas e representantes legais de várias empresas para serem interrogados na próxima semana. Chamorro, segundo declaração às agências de notícias, chamou a investigação contra ela de "uma farsa".

O que o cardeal Brenes expressou no domingo é compartilhado pelos principais líderes católicos do país. O bispo da Diocese de Matagalpa, dom Rolando Álvarez, disse:

"Não se pode viver excluindo o outro, censurando e descartando o adversário, porque depois a política se militariza e é despojada de seu verdadeiro significado, que é a busca do bem comum; colocamos o país à beira de uma dinâmica devastadora."

Política militarizada e despojada da busca do bem comum

O bispo recomendou "parar de olhar para trás, parar de ancorar-se no passado sem aprender com ele, porque hipotecamos o futuro de nosso povo, sobretudo dos mais pobres e fracos, que acabam tendo que pagar com a pobreza e custos mais altos", concluiu o prelado. Na Nicarágua, de acordo com o censo oficial de 2005, 58,5% de seus 6,5 milhões de habitantes pertencem à Igreja católica.

(Fides)

09 junho 2021, 13:44