Busca

A história
Vatican News

Índia: da Laudato si', uma energia vital para Bihar

A Irmã Mary Jyotisha Kannamkal, das Irmãs de Notre Dame, é uma Animadora Laudato si' do Movimento Católico Global pelo Clima. Em Patna, em Bihar, no nordeste da Índia, organiza cursos de formação e encontros inter-religiosos dedicados à Encíclica do Papa Francisco, sem nunca esquecer dos pobres e dos marginalizados do país, hoje ainda mais afetados pela emergência do coronavírus.

Giada Aquilino* – Vatican News

Um compromisso que une o serviço pelos marginalizados e o cuidado com a Criação, sem limites de crença. É isso que a Irmã Mary Jyotisha Kannamkal das Irmãs de Notre Dame (Sisters of Notre Dame, SND), está fazendo em Bihar, no nordeste da Índia. Nascida em Kerala em 1960, ela entrou na ordem religiosa em 1987.

Ela conta ao Vatican News que, “no início era professora, mas uma voz interior me motivou a deixar o ensino institucional para me colocar a serviço das pessoas marginalizadas", especialmente das mulheres e meninas. Com curso de especialização em Serviços Sociais e um estágio na ONU em Nova York, desde 2010 a Ir. Jyotisha é a responsável pelas iniciativas da Comissão "Justiça, Paz e Integridade da Criação" da Província de Patna, em colaboração com a União Internacional das Superiores Gerais, além de ser membro do Fórum Inter-religioso pelos Direitos Humanos da Unicef-Bihar e Animadora Laudato si' do Movimento Católico Global pelo Clima.

Irmã Mary Jyotisha Kannamkal e um encontro sobre a Criação
Irmã Mary Jyotisha Kannamkal e um encontro sobre a Criação

O grito da terra e dos pobres

A Irmã Jyotisha diz ter ficado "encantada" com a Encíclica Laudato si', de 2015, e com a mensagem do Papa Francisco sobre o cuidado com a Casa Comum: "em especial, fiquei impressionada com a perspectiva espiritual da interconexão das crises socioambientais que nos pedem urgentemente uma conversão ecológica, uma revolução cultural radical para a promoção de uma ecologia integral que responda ao grito da terra e dos pobres". Por essa razão, ela acrescenta, "tornei-me Animadora Laudato si’: estou muito tocada pelo fato de que as crises ecológicas afetam sobretudo os pobres". Nos últimos dois a três anos, observa, secas e enchentes deixaram milhões de pessoas "sem o mínimo de sustento básico". "Minha consciência me pede insistentemente que me dedique à construção da solidariedade para a ecologia integral".

O coronavirus

O contexto em que trabalha em Patna é aquele de um Estado, o Bihar, com 125 milhões de habitantes: já em 2016, o Banco Mundial registrou pelo menos 36 milhões de pobres. Entre o final de outubro e o início de novembro do ano passado, longas filas de espera marcaram um dos primeiros testes eleitorais em massa desde o início da pandemia do coronavírus, durante as consultas para a renovação do governo local: muitos dos eleitores, informou AsiaNews, ignoraram as disposições que exigiam o uso de máscaras e distanciamento social.

"A pandemia global agravou o sofrimento e a miséria dos pobres devido à crise socioambiental: o seu efeito desproporcional sobre os pobres em países como a Índia é alarmante". Nesta emergência de Covid-19, o olhar da religiosa vai em particular para a situação "muito difícil" e "desoladora" dos trabalhadores migrantes, muitas vezes diaristas e não regulares: muitos deles, uma vez empregados nas megalópoles, por causa da pandemia, voltaram às aldeias porque agora não têm trabalho.

Irmã Jyotisha denuncia "o aumento do desemprego entre os jovens, que não têm perspectivas de sobrevivência das suas famílias" e chama novamente a atenção para os pobres, que, aponta ela, "permanecem em uma condição de angústia e desespero", que é cada vez mais a causa do suicídio. "As mulheres, as meninas, as crianças, os idosos e as pessoas com patologias físicas são as categorias mais severamente afetadas" pelo coronavírus no país: "apesar das atividades caritativas daqueles poucos que ainda são movidos por um senso de fraternidade humana na sociedade, a dor e a miséria de uma grande parte da população permanecem". E "aqueles que são pobres continuam a ser assim". "A precoce perda de vidas devido à pandemia e à mudança climática", acrescenta, "está nos enviando um sinal vermelho sobre o estilo de vida que estamos levando".

Desenhos sobre a Criação, elaborados por jovens religiosas
Desenhos sobre a Criação, elaborados por jovens religiosas

Despertar a espiritualidade

"Vejo a Laudato si' como uma ferramenta espiritual para conduzir este mundo governado pelo materialismo" de volta aos valores espirituais corretos e à colaboração para o bem comum, relata a freira indiana. "Chegou o momento de despertar a nossa espiritualidade porque é a energia vital, real e dinâmica que nos ajuda a combater a crise social e ecológica que enfrentamos". O ideal espiritual da Índia, Vasudhaiva Kutumbakam, indica que "o mundo inteiro é uma só família" e a Laudato si' do Papa Francisco "nos chama de volta a uma relação fraterna com cada pessoa e com cada vida criada por Deus": "ser família significa sentir a responsabilidade de cuidar de cada um e de cada membro da família".

A escola da Laudato si'

A colaboração com o Movimento Católico Global pelo Clima conduz a Irmã Jyotisha não apenas à promoção da ecologia integral, mas também à formação de acordo com o espírito da Laudato si'. Como uma realidade das Irmãs de Notre Dame, a Província de Patna, informa ela, já adotou uma política de "Justiça, Paz e Integridade da Criação". Nessa perspectiva, a Irmã Jyotisha trabalha com as jovens irmãs para uma "nova maneira de viver a vida religiosa".

Iniciativa Laudato si’ das Irmãs de Notre Dame
Iniciativa Laudato si’ das Irmãs de Notre Dame

Em maio do ano passado, "a celebração da Semana Laudato si' 2020 na casa provincial gerou consciência e motivação nas religiosas quanto à necessidade e importância de uma conversão ecológica para o cuidado e a proteção da nossa Casa Comum". Por essa razão, várias iniciativas foram organizadas para o Ano Laudato si', em andamento até 24 de maio de 2021: uma formação ad hoc sobre a encíclica do Pontífice, com duração de seis meses; caminhadas na natureza; um retiro espiritual anual, previsto para as irmãs com menos de 60 anos; a criação de um "banco de positividade" para a Casa Comum: a cada mês, cada comunidade da Província "deposita" uma ação positiva sobre o caminho da ecologia integral.

Um compromisso inter-religioso

"O conceito fundamental no centro da formação sobre a Laudato si' é a necessidade de crescer no caminho da ecologia integral": a religiosa conta como se preparou para a conversão ecológica das jovens "em pequenos passos, aprendendo a não desperdiçar água, energia elétrica, alimentos, com uma sábia gestão dos resíduos biodegradáveis, para reduzir, reutilizar e reciclar". "Elas foram encorajadas a reconhecer Deus na interconexão de todas as formas de vida e a salvaguardar tudo o que Deus criou".

A colheita biológica da comunidade de Patna
A colheita biológica da comunidade de Patna

Em setembro, então, através da web por causa das disposições relacionadas à pandemia, foram "convocados à colheita" o Estado de Bihar, os representantes da Unicef e os líderes de todas as religiões e tradições locais para celebrar o Tempo da Criação 2020, organizando também um concurso de pintura e poesia para os jovens, na convicção de que "cuidar da Mãe Terra significa cuidar da humanidade".

* Com a colaboração da redação indiana da Rádio Vaticana - Vatican News

06 abril 2021, 08:00