Busca

Vatican News
Migrantes latino-americanas na fronteira com o Texas Migrantes latino-americanas na fronteira com o Texas 

Aumenta a pressão para os migrantes do México aos EUA

Os migrantes da América Central que querem entrar nos Estados Unidos estão passando por uma situação cada vez mais difícil. A administração Biden defende o princípio de não deportar menores desacompanhados, mas não aceita adultos sozinhos

Fausta Speranza – Vatican News

Um aumento vertical nos últimos dois anos. Portanto, o Presidente Biden admitiu que a situação na fronteira com os países latino-americanos está se tornando crítica. Particularmente na faixa sudoeste do país, dezenas de milhares de migrantes, provenientes de vários países da América Central, estão se aglomerando na fronteira mexicana para tentar entrar nos EUA. De acordo com os últimos dados, somente em fevereiro, mais de 100.000 migrantes clandestinos foram apreendidos, o número mais alto desde 2019. Entre estes incluem mais de 70.000 adultos, quase 20.000 pessoas com famílias e também – mais preocupante - 9.500 menores desacompanhados, muitos dos quais estão doentes. Enquanto a pandemia está sendo combatida, está surgindo um grande desafio para a Casa Branca. Os republicanos estão falando de uma abertura das medidas rigorosas de Trump sobre as migrações. Os atravessamentos ilegais nas fronteiras aumentaram desde a última primavera, impulsionados principalmente pelo agravamento da pobreza, da fome e da violência na América Central. 

[ Audio Embed Ouça e compartilhe!]  

Para menores

A administração Biden reiterou que não tem planos de deportar crianças que viajam sozinhas, apelando para as leis de imigração dos EUA que lhes oferecem proteções especiais. A referência é a rede de abrigo administrada pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos, mas o crescente número de menores está pressionando os recursos governamentais. Foram abertos dois novos abrigos de emergência, um em um centro de convenções em Dallas e um segundo em um campo convertido para trabalhadores de campos petrolíferos em Midland, Texas. O Departamento de Segurança Nacional começará a desembolsar dinheiro para as cidades fronteiriças para cobrir 100% do custo dos testes Covid-19 e quarentena de migrantes que poderão entrar nos Estados Unidos. Além disso, o governo anunciou que abrirá centros de tratamento de refugiados no México e na América Central e emitirá novas regras para governar o processo de asilo.

Para adultos

Para adultos sozinhos, o governo recorreu a um código de saúde pública de emergência, conhecido como Título 42, para deportá-los imediatamente quando atravessam a fronteira ilegalmente, contornando completamente o processo de prisão formal e negando-lhes a possibilidade de pedir asilo. Esta política de deportação imediata, introduzida pela administração Trump em março de 2020, tem o objetivo de impedir a aglomeração nas instalações governamentais evitando assim a disseminação do Covid-19. O governo também tentou afastar as famílias, mas nos últimos meses o México começou a se recusar a aceitá-las de volta, especialmente as com filhos menores.

No Texas

Enquanto que no Vale do Rio Grande, no Texas, onde se concentram a maioria das famílias que cruzam a fronteira, as famílias foram liberadas e autorizadas a pedir asilo nos Estados Unidos.

 

18 março 2021, 09:33