Busca

Vatican News

Explosões em quartel da Guiné Equatorial matam 98 e deixam centenas feridos

As cinco explosões ocorridas no domingo na Unidade de Pronta Intervenção em Bata, deixaram dezenas de mortos e centenas de feridos. Governo atribui incidente à "imprudência e desconhecimento" na preservação e manuseios de explosivos.

Vatican News

Subiu para 98 o número oficial de morto devido à série de explosões que abalou a cidade de Bata - a mais populosa e capital econômica da Guiné Equatorial na Guiné Equatorial - no domingo, 7 de março.

A confirmação é do Ministério da Saúde da Guiné Equatorial, que também informou que, das 615 pessoas feridas, 316 receberam alta, enquanto 299 permanecem hospitalizadas em hospitais locais.

Por volta das 14h15 de domingo, 7 de março – segundo um comunicado do Ministério da Defesa - pelo menos cinco grandes explosões ocorreram na área do quartel de Nkuantoma, destruindo a maioria dos prédios das próprias instalações militares da Unidade de Pronta Intervenção e das casas vizinhas. A violência das explosões suscita temores de que o número de vítimas possa ser muito superior ao relatado por fontes oficiais.

O presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, atribuiu o ocorrido à "imprudência e desconhecimento" dos responsáveis ​​pela preservação e manuseio dos explosivos contidos no paiol do quartel. Obiang apelou pela solidariedade internacional. Ainda no domingo, o chanceler havia se reunido com embaixadores credenciados no país.

Enquanto isso, as operações de resgate continuam, com a busca de sobreviventes em meio aos escombros. Foi feito um apelo para doações de sangue, enquanto uma equipe médica e psicológica cuidará das pessoas psicologicamente afetadas pela tragédia.

O Ministério da Defesa se solidarizou com as vítimas, expressando às famílias seu mais profundo pesar pelas perdas humanas, fazendo votos de pronta recuperação aos feridos, e informando a abertura de uma investigação.

09 março 2021, 15:43