Busca

Vatican News
Papa no Fórum dos Povos Indígenas de 2019 Papa no Fórum dos Povos Indígenas de 2019  (ANSA)

Covid e os recursos da tradição dos povos indígenas

Os povos indígenas estão sofrendo muito mais com a pandemia, mas estão usando conhecimentos tradicionais que são valiosos, de acordo com as discussões no Fórum dos Povos Indígenas. Os trabalhos foram abertos com a mensagem do Papa, que recomendou o desenvolvimento e não o mero consumo

Fausta Speranza – Vatican News

No próximo mês de setembro, sob iniciativa da ONU, será realizada uma cúpula para tratar das questões mais urgentes ligadas a alimentos e subsistência em relação à pandemia e à mudança climática. O fórum discutirá as necessidades, mas também os ensinamentos dos povos indígenas em termos de gestão de recursos. Com este anúncio, foi concluído em 4 de fevereiro o Fórum dos Povos Indígenas, uma reunião bienal que reúne 154 líderes indígenas de 57 países, assim como representantes de organizações de desenvolvimento e governos. O tema desta edição, que se realizou de forma virtual foi "O valor dos sistemas alimentares indígenas: resiliência no contexto da pandemia da Covid-19″". Ainda, de 8 a 12 continuam as iniciativas da Semana dos Povos Indígenas.

O apelo do Papa

Os desafios foram centralizados na mensagem inicial do Papa Francisco que recomendou "promover um desenvolvimento que não tenha o consumo como um meio e como um fim". Nisso, ele explicou, consiste a "ecologia integral, na qual a justiça social é combinada com a tutela do planeta". O objetivo, sintetizou o Papa, é entregar nosso planeta "aos que vêm depois de nós como um tesouro e não como um acúmulo de detritos e restos".

Há muito o que aprender com as comunidades indígenas

Margaret Tunda Lepore, membro dos povos Maasai da África Oriental, disse que a situação de sua comunidade piorou devido à pandemia, chamando a atenção para os desafios que os povos indígenas enfrentam "já normalmente" devido às mudanças climáticas e às questões de propriedade da terra. "A presença desta pandemia tornou os povos indígenas mais vulneráveis e marginalizados do que antes", afirma. No entanto, embora haja a necessidade de apoiar as comunidades indígenas, também há muito a aprender, ressalta Mattia Prayer Galletti, responsável pelos povos indígenas do Ifad.

Mattia Galletti primeiramente destaca a importância da cúpula da ONU anunciada para setembro próximo, esclarecendo que os povos indígenas possuem conhecimentos essenciais para reconstruir um mundo pós-pandêmico mais sustentável e resiliente, livre da pobreza e da fome. A questão é, explica ele, que a única maneira de conseguir isso é que o resto da comunidade internacional una forças com os povos indígenas que são guardiões tanto da natureza quanto de um vasto reservatório de conhecimento tradicional em todo o mundo.

Respeito pelo meio ambiente

Mattia Galletti define como "sem igual" o respeito que os povos indígenas têm pelo meio ambiente, lembrando que eles consideram, por exemplo, os rios como seres vivos. Recorda que eles vivem em áreas de risco, como florestas, savanas ou costas onde a erosão é sentida e que tentam de todos os modos proteger o meio ambiente de tal forma que 80% da biodiversidade mundial, disse o especialista, é preservada onde há povos indígenas. Portanto, um patrimônio a ser protegido e do qual podemos aprender muito.

Em caso de emergência pandêmica

O especialista do Ifad explica que devido à Covid-19, o acesso a alimentos e água potável diminuiu, as economias locais e tradicionais foram abaladas.  Entretanto, os povos indígenas aplicaram suas próprias soluções para lidar com a pandemia. Seu modo de vida, sistemas alimentares, cultura e ligação com suas terras têm sido uma grande fonte de resiliência diante da Covid-19. Eles agiram utilizando seus conhecimentos e práticas tradicionais, incluindo o isolamento e o fechamento voluntário de seus territórios, bem como o uso de medidas de cuidado preventivo em seus idiomas, a fim de manter vivas suas comunidades.

O especialista se detém na emergência pandêmica, lembrando que a primeira forma de defesa é uma dieta capaz de garantir boas defesas imunológicas e depois afirma que no respeito pelo meio ambiente e pela alimentação os nativos nunca desperdiçam, há também o segredo de uma biodiversidade que preserva os melhores nutrientes.

O compromisso do Ifad

O Ifad apóia projetos focados nos povos indígenas para assegurar a proteção, promoção, reintrodução ou revitalização de variedades tradicionais de culturas locais, sistemas alimentares, sistemas de sementes, agrobiodiversidade e sistemas agroecológicos. O Fórum dos Povos Indígenas é seguido por uma Semana Indígena (8-12 de fevereiro) com um diálogo sobre a conservação da biodiversidade. A sessão de encerramento da iniciativa será no dia 15 de fevereiro.

05 fevereiro 2021, 10:46