Busca

Vatican News
A importância da criação de filhos bilíngues fora do Brasil A importância da criação de filhos bilíngues fora do Brasil 

Dia Internacional da Língua Materna: a criação de filhos bilíngues na Itália

É hoje o Dia Internacional da Língua Materna instituído em 1999 na Conferência Geral da UNESCO para “proteger as quase 7 mil línguas maternas existentes no mundo”, entre elas, o português. Uyara Liege, pedagoga, especializada em Neuropsicologia e fundadora do grupo Brasilidade, em Nápoles, na Itália, assina artigo especial sobre o tema.

Uyara Liege* - pedagoga, especializada em Neuropsicologia

"É pela língua que cada um de nós se afirma no mundo, enquanto indivíduo, e é por ela que nos afirmamos enquanto povo, com uma identidade própria baseada na nossa cultura.” (GOMES, 2012)

Neste domingo, dia 21 de fevereiro, comemora-se o Dia Internacional da Língua Materna, instituído em 1999 na Conferência Geral da UNESCO. Pretende-se, ao celebrar este dia, proteger as quase sete mil línguas maternas existentes no mundo e, simultaneamente, promover a diversidade cultural e linguística. 

A ideia para proclamar um dia dedicado à língua materna surgiu a partir do Dia do Movimento da Língua, criado em 1952 e celebrado desde então em Bangladesh. Um grupo de estudantes organizaram uma campanha para incluir o bengalês como uma das línguas oficiais do Paquistão, em 21 de fevereiro de 1952. No entanto, acabaram sendo todos assassinados por forças policiais, que atearam fogo em seus corpos. Este movimento em prol da inclusão do bengalês começou quando Muhammad Ali Jinnah, general paquistanês, declarou que o idioma Urdu passaria a valer como língua oficial tanto no Paquistão do Oeste, como no Leste (local que tinha como língua principal o bengali).

Atualmente, inúmeras famílias expatriatas preservam o hábito de falar na sua língua Materna seja em família ou em comunidade. Existem iniciativas espalhadas ao redor do mundo com o intuito de preservar e manter viva não só a língua que é um patrimônio histórico de um povo mas também a sua cultura. O grupo Brasilidade-Famílias com filhos plurilíngues, assim como outras iniciativas, nasce com este objetivo de favorecer um espaço para a vivência desta língua em comunidade. Denominado como uma iniciativa de POLH (Português como língua de herança) enquanto mantém a Língua Materna para os lusófonos que moram no exterior a mesma é transmitida e ensinada para outras gerações como uma herança linguística, histórica, identitária e cultural. Na Itália, a Rede POLH-Itália que conta com a participação de 15 iniciativas reúne tais grupos fortalecendo sua ação no âmbito nacional.

A criação de filhos bilíngues

Criar um filho bilíngue é um investimento (emocional, linguístico, cultural, afetivo) e uma satisfação. São quase 9 anos que trasmito minha língua materna para minha filha, hoje sua língua de herança e são 4 anos que coordeno as atividades do grupo BRASILIDADE, em Nápoles, Itália. 

Durante este período, meu lado mãe e educadora buscou e busca manter vivo o nosso patrimônio cultural, identitário e linguístico, dentro de casa e com as famílias ítalos-brasileiras com as quais eu convivo. Esta tem sido uma oportunidade e uma rica experiência para que eu possa falar com afeto do amor pela nossa língua e pela nossa cultura de origem, e viver com a minha filha e todo o nosso grupo, as emoções em cada (re) encontro em que os ítalo-brasileirinhos e as suas famílias vivem e sentem a LP como a sua LH.

Nesta data, na qual comemoramos o dia do Internacional da Língua Materna (21/02), sinto-me grata pelo país que me acolhe, grata pela associação Cantiere Giovani pelo apoio às nossas iniciativas, grata por fazer parte da Rede POLH-Itália a qual me fez conhecer mulheres fantásticas engajadas no POLH, grata a todas as famílias integrantes do Grupo Brasilidade pelos vínculos afetivos estabelecidos e por participarem comigo nesse amoroso desafio de ensinar e manter o POLH nas nossas famílias. Grata as mães que desde o início embarcaram comigo neste caminho e pela minha atual parceira e colaboradora, Maria Rosa Del Gaudio. Relembrar momentos vividos durante estes anos na minha vida pessoal e em comunidade me dão a certeza que estamos trilhando a estrada certa.

*Uyara Liege é a idealizadora e coordenadora do grupo Brasilidade-Famílias com filhos plurilíngues. É ítalo-brasileira, nascida em Feira de Santana (BA) e desde 2010 mora no exterior. É mãe, atua na área educacional desde 2000, formada em Pedagogia (UEFS/BA), especializada em Neuropsicologia (FACINTER/PR) e, recentemente concluiu a formação no curso Didática do Português Língua de Herança, pelo Instituto Camões (PT). No Brasil, foi professora do ensino fundamental e formadora de professores. Na Itália, realiza laboratórios interculturais em escolas, colabora como educadora em associações, é intérprete e mediadora linguística e cultural.

*Grupo Brasilidade famílias com filhos plurilíngues nasce em março de 2017 sediada em Nápoles, com o objetivo de trabalhar aspectos inerentes ao ensino de uma Língua de Herança, favorecendo as famílias um espaço de discussão e troca. A proposta da nossa iniciativa é compartilhar ações que já estão sendo realizadas, promover atividades presenciais e virtuais com a temática do bi/plurilinguismo e realizar encontros com as famílias com o intento de criar espaços significativos de vivência nos quais os elementos das culturas de contato e a Língua Portuguesa estarão sempre presentes. Desde 2020, a nossa iniciativa tem 3 frentes de atuação: realização de Laboratórios POLH Virtuais para as famílias, Ciclo de formação continuada para educadores e demais interessados na temática de POLH e troca de experiências entre mães expatriadas com o objetivo de fortalecer o vínculo identitário e afetivo das mesmas com a sua cultura e a sua língua de origem. Para conhecer mais sobre o trabalho, usa o e-mail @brasilidade.polh.italia ou as redes sociais no YouTube e Facebook.

21 fevereiro 2021, 15:55