Busca

Vatican News
Fogo no porto de Beirute Fogo no porto de Beirute  (ANSA)

Nova explosão no porto de Beirute: chamas e fumaça preta

Um gigantesco incêndio deflagrou-se no porto de Beirute após as explosões devastadoras de 4 de Agosto. Numerosos vídeos transmitidos nas redes sociais filmam as pessoas que fogem do porto

Andrea De Angelis , Silvonei José - Vatican News

Pouco mais de um mês após a explosão que causou cerca de 200 mortos e um número desconhecido de pessoas desaparecidas, o porto de Beirute, no Líbano, volta a queimar. Uma coluna de fumaça preta subiu hoje, quinta-feira, 10 de setembro, pouco depois do meio-dia, ao céu da cidade, como evidenciado por numerosos vídeos e imagens transmitidos através de redes sociais por cidadãos assustados. As operações dos bombeiros estão ainda em curso para controlar a situação.

O que está queimando?

Neste momento não se sabe a extensão do incêndio ou o que o causou. Segundo os meios de comunicação locais, o fogo teve início num armazém onde foram colocados pneus, outras fontes falam de óleos vegetais. Entretanto, o exército libanês, que confirmou o que ocorreu, exortou os residentes nas proximidades a evacuar a área. O céu de Beirute, portanto, está de novo ficar preto e há numerosos cidadãos fugindo do local do incêndio, como testemunham as primeiras imagens da capital libanesa.

O desastre de 4 de agosto

A explosão do mês passado matou quase 200 pessoas e causou milhares de feridos. A violência em particular da segunda explosão destruiu carros e devastou os edifícios com estruturas de aço. Dentro da zona portuária, uma parte da linha costeira foi totalmente destruída. Testemunhas relataram que casas até dez quilômetros de distância foram danificadas pela explosão, e que até 300 mil pessoas ficaram sem casa devido às explosões. Segundo o governo libanês, o segundo maior silo de cereais da cidade foi destruído, agravando a escassez de alimentos causada pela pandemia COVID-19 e pela grave crise financeira. Os danos abrangem mais da metade de Beirute, com um custo provável superior a 10 bilhões de dólares; a maioria dos hotéis da cidade foram danificados e três hospitais foram completamente destruídos, enquanto outros dois sofreram danos.

O dia de oração do Papa 

O Papa rezou pelo Líbano nas últimas semanas, encorajando o povo libanês a perseverar na esperança e a encontrar a energia para recomeçar. Francisco pediu aos políticos e líderes religiosos que "olhem para o bem comum e se comprometam com sinceridade e transparência no trabalho de reconstrução", e à comunidade internacional que apoie o país. "Tenham coragem, irmãos! Que a fé e a oração sejam a sua força. Não abandonem as suas casas e a sua herança, não deixem cair o sonho daqueles que acreditaram no futuro de um país belo e próspero", foram as palavras dirigidas aos libaneses, anunciando um dia de oração pelo Líbano, realizado a 4 de setembro último.

 

10 setembro 2020, 15:52