Busca

Vatican News

Com hospitais em colapso, crianças podem ficar sem atendimento em Beirute

"Estamos chocados e devastados pela explosão. O número real de mortes ainda não é conhecido, mas o que sabemos é que em um desastre como esse, o impacto nas crianças pode ser devastador: elas podem estar feridas, chocadas e separadas de seus pais", diz membro da Save the Children.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

A organização Save the Children divulgou um comunicado nesta quarta-feira, 5, onde alerta que, devido às violentas explosões ocorridas em Beirute, crianças não poderão receber o atendimento adequado pois os hospitais entraram em colapso.

A enorme explosão na capital libanesa, que seguiu uma precedente menos intensa, causou devastação num raio de 10 km. Os funcionários locais da Save the Children relataram que ruas inteiras ficaram destruídas e que muitas crianças estão desaparecidas, enquanto as equipes de resgate trabalham nos prédios destruídos para tirar as pessoas dos escombros.

 

Edifícios residenciais e comerciais foram devastados no que é descrito como a maior explosão na história recente do Líbano. Os hospitais de Beirute informam que não tem mais capacidade para receber outras vítimas, pois centenas de leitos se encheram imediatamente após as explosões.

Militares foram enviados para resgatar pessoas presas nos escombros, enquanto o pessoal médico trata os feridos nas ruas. A Save the Children confirma que seus escritórios em Beirute, a cerca de cinco quilômetros do porto, foram seriamente danificados pela explosão, que abalou o prédio e destruiu as fachadas das lojas do bairro. Não obstante isso, garante que sua equipe de resposta rápida está pronta para apoiar o governo nos próximos dias.

 

"No começo, o prédio começou a tremer - eu pensei que era um terremoto. Cinco dos meus sobrinhos e sobrinhas estavam na sacada brincando quando ocorreu a explosão. Elas começaram a gritar e a correr enquanto as janelas desabavam ao seu redor. Todas ficaram feridas. Os hospitais nos disseram que não podíamos levá-las, porque priorizavam os feridos graves", disse Nour Wahid, um dos colaboradores da Save the Children, que mora a 10 minutos do local de explosão.

"Estamos chocados e devastados pela explosão. O número real de mortes ainda não é conhecido, mas o que sabemos é que em um desastre como esse, o impacto nas crianças pode ser devastador: elas podem estar feridas, chocadas e separadas de seus pais. Nossos operadores estão prontos para trabalhar para proteger as crianças e apoiar os esforços do governo, que continuarão por vários dias. É essencial que as crianças e suas famílias tenham acesso aos serviços de que precisam com urgência, incluindo cuidados médicos e assistência médica, proteção física e emocional", comentou por sua vez Jad Sakr, diretor no Líbano da Save the Children, organização internacional que luta há mais de 100 anos para salvar crianças em risco e garantir-lhes um futuro.

"O acidente não poderia ter acontecido em pior momento. Atingiu as comunidades que já estavam sofrendo com o impacto da crise da COVID-19 e da crise econômica. O principal porto de Beirute, agora completamente danificado, é vital para boa parte dos alimentos, dos cereais e combustível que o Líbano importa, e as famílias logo sofrerão com a escassez de necessidades básicas devido a essa tragédia".

Com Save the Children

05 agosto 2020, 12:05