Busca

Vatican News
23 de abril, Dia Mundial do LIvro 23 de abril, Dia Mundial do LIvro  (ANSA)

23 de abril, Dia Mundial do Livro: iniciativas em todo o mundo

Celebra-se nesta quinta-feira (23/04) o Dia Mundial do Livro promovido pela Unesco. Muitas iniciativas, apesar das limitações impostas pela emergência do Covid-19: convites para leitura, maratonas ao vivo e atividades para fazer reiniciar um setor que foi duramente provado pelo confinamento.

Paolo Ondarza/Mariangela Jaguraba - Cidade do Vaticano

O prazer de ler um bom livro é uma riqueza a ser redescoberta, sobretudo em tempos de quarentena. O 25º Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor se celebra este ano em meio à pandemia de coronavírus.

Uma rosa e um livro

Marcada desde a sua proclamação, em 1995, pela UNESCO, em 23 de abril, data da morte de Cervantes, Shakespeare e Inca Garcilaso de la Vega, este aniversário tem suas raízes na Catalunha na memória litúrgica de São Jorge, Sant Jordi, padroeiro da região. Ali, segundo a tradição, as mulheres respondem ao presente de rosas de seus namorados, com um livro.

Não é por acaso que os livreiros de Barcelona costumam presentear uma rosa para cada volume vendido. Este ano, devido às medidas de contenção do Covid-19, o “Dia del Llibre” não será marcado como de costume pelas cores das barracas que enchem de vida a Rambla de Cataluña. No entanto, não faltam iniciativas para celebrar online este dia, criado pelo escritor e editor valenciano Vincent Claves Andrés, celebrado pela primeira vez na Espanha pelo rei Alfonso XIII em 7 de outubro de 1926, dia do nascimento de Cervantes. Em 1930, a data foi mudada para 23 de abril.

Maratona de leitura

O site da Arquidiocese de Barcelona oferece uma seleção de títulos para celebrar Sant Jordi nas redes e apoiar a editoria gravemente provada pelo fechamento das livrarias. Na internet, não faltam maratonas de leitura, como a organizada na Itália, com o patrocínio da Unesco, da Fundação De Sanctis, na quinta-feira (23/04), com transmissão ao vivo de 11h às 18h.

#Chileggenonsiferma é a hashtag que o Grupo Editorial São Paulo lançou para incentivar a leitura de livros de qualquer editor, alcançando todos os leitores diretamente em casa e apoiando as livrarias independentes, religiosas e seculares duramente provadas por essa emergência.

Grupo São Paulo para recomeçar

“A leitura tem a força de fazer viajar, além de toda forma de restrição. Com a leitura, tudo permanece em movimento: a mente, o coração, a imaginação e o espírito”, lê-se num comunicado.

Durante o período de isolamento total e também nos dias em que as primeiras livrarias estão reabrindo em algumas regiões da Itália, a Diffusione San Paolo oferece a possibilidade de encomendar os produtos desejados a revendedores confiáveis e recebê-los em casa sem custos de expedição. “Estou convencido de que devemos dar esperança às livrarias, oferecendo um novo serviço dedicado ao leitor que não parou de comprar livros”, explica ao Vatican News o diretor comercial da Área de Livros do Grupo Editorial São Paulo, Fabrizio Cattaneo. “Até agora, tivemos um grande feedback com centenas de livrarias que aderiram.”

Espiritualidade, psicologia e narrativa. Os mais pedidos

Embora uma estatística ainda não tenha sido feita, a tendência mostra que os clientes se concentram principalmente na narrativa, nos textos de espiritualidade e psicologia. Os livros infantis também estão indo bem: contos de fadas, histórias e livros para colorir. Um fato significativo: Fabrizio Cattaneo destaca que “os leitores compram vários livros ao mesmo tempo e procuram sua livraria de confiança”.

“Em um mês e quinze dias de fechamento milhões de euros foram perdidos. A nossa quer ser uma contribuição gratuita para recomeçar. Estamos próximos aos leitores e livrarias, pagando totalmente os custos de expedição e acompanhando a retomada no respeito da saúde e de todas as normas de segurança”, frisou ele.

De volta à livraria

“Consola-nos o fato de o público ter se apresentado novamente nas livrarias na reabertura. O nosso compromisso continuará até que a situação se normalize. Continuaremos entregando livros em casa às nossas custas, pelo menos até o início da chamada fase 3, quando as pessoas poderão novamente se movimentar livremente pela cidade”. “#Chileggenonsiferma é um serviço inovador, porque nunca foi ativado antes. É excelente, pois garante a entrega em 48 horas”, conclui Cattaneo.

“A leitura é importante hoje mais do que nunca. Leia e você nunca estará sozinho”, diz o slogan no site da Unesco que, durante o mês de abril, convida a comunidade digital a expressar nas redes sociais seu amor pelos livros por meio das hashtags #StayAtHome e #WorldBookDay.

22 abril 2020, 19:33