Busca

Vatican News

Bagdá amanhece coberta de neve: que possa purificar os corações, diz patriarca

A última vez que alguns flocos haviam caído em Bagdá foi em 2008, enquanto nas cidades do norte do país o fenômeno é bem mais comum.

Um fenômeno anômalo, que atesta os efeitos das mudanças climáticas que vêm ocorrendo nos últimos anos. Na manhã desta terça-feira, 12 de fevereiro, Bagdá acordou coberta por um manto de neve, um fenômeno pouco comum para a capital iraquiana, acostumada a maior parte do ano a altas temperaturas, clima desértico e longos períodos de seca.

O evento incomum também chamou a atenção dos líderes da Igreja Caldeia no Iraque, que no site do Patriarcado publicaram fotos e imagens da cidade nevada.

Em uma mensagem dirigida à comunidade, as lideranças caldeias falam de "uma cena rara e bonita" vivida durante a noite, quando "um manto de neve cobriu" grandes áreas da capital, “incluindo a sede do patriarcado".

"Nossa pergunta - continua a nota patriarcal - é: a neve purificará os corações dos iraquianos e removerá deles os acúmulos causados ​​por 17 anos de conflito, corrupção, maus serviços?".

A esperança é que as violências "se afastem" e assim se poderá abrir o caminho "para uma página “branca" de boas relações, de paz e de estabilidade, de reconstrução e de progresso". Esta "é a esperança para um novo caminho no Iraque", conclui a mensagem ", e este foi o tema de nossa oração da manhã. Que os políticos possam alcançar esse objetivo!".

A referência é às profundas turbulências políticas e sociais que ocorrem no país, com protestos de rua contra a corrupção e a crise econômica que ocorrem desde outubro.

As autoridades tentaram repetidamente reprimir as manifestações, provocando confrontos que resultaram em mais de 500 mortes. A recente nomeação de um novo primeiro-ministro criou novas divisões (e violênciaa) entre os apoiadores de al-Sadr, que apoiam o novo Executivo e a base da Praça Tharir em Bagdá (coração da revolta), que pretende continuar com as manifestações.

No domingo houve mais uma vítima em Nassirya, onde seguranças da universidade abriram fogo contra um grupo de pessoas que tentavam forçar o bloqueio na entrada da universidade.

A esperança é que a neve possa, portanto, trazer um pouco de paz e serenidade, em uma espécie de estação de Natal fora de estação.

"A atmosfera é linda", dizem os moradores da capital "e as pessoas ficam felizes porque é a primeira vez que a neve chega".

Na realidade, a última vez que alguns flocos caíram em Bagdá foi em 2008, mas esse é um fenômeno muito raro, enquanto a neve cai abundantemente no norte entre cidades e vilarejos, muitos deles nas montanhas, no Curdistão iraquiano. Mosul, por exemplo, estava branca de neve na parte da manhã.

Mas já ao meio-dia, a maior parte do manto branco já havia derretido e as temperaturas devem ficar acima de 20 graus nos próximos dias, em linha com as médias sazonais.  Assim, - diz um transeunte - "a vida volta ao normal".

(Com Asia News)

11 fevereiro 2020, 14:24