Cerca

Vatican News
Cristãos perseguidos Cristãos perseguidos 

Testemunho de líderes religiosos africanos: "devemos ter consciência da realidade"

Dom Matthew Hassan Kukah, bispo da diocese de Sokoto (Nigéria) e Dacholom Datiri, presidente da Comunidade Protestante da Igreja de Cristo da Nigéria, proferiram uma conferência sobre a perseguição dos cristãos nos países africanos e a perseverança dos fiéis locais. O evento foi realizado na Sala de Cerimônias da Universidade Católica Pázmány Péter (UCPP) em Budapeste (Hungria) no dia 13 de maio.

Pe. Arnaldo Rodrigues - Cidade do Vaticano

Dom Matthew Hassan Kukah, bispo da diocese de Sokoto, no seu discurso intitulado “Crescer entre Espinhos: Combate das Testemunhas Cristãs num Ambiente de maioria muçulmana”, sublinhou que, para entrar em diálogo, é indispensável a confiança, mas para poder construí-la é preciso desenvolver primeiro a confiança em si mesmo. E exortou:

“ Não devemos pedir perdão pelo fato de sermos cristãos. É muito importante que os fiéis reencontrem sua voz cristã. ”

Na sua conferência intitulada “Quebrados, mas não derrotados”, Dacholom Datiri, presidente da "Comunidade Protestante da Igreja de Cristo da Nigéria", falou sobre a situação dos fiéis da sua Igreja em doze países africanos.

O pastor explicou que sua Igreja é a comunidade cristã que sofre a perseguição mais atroz na Nigéria. As organizações extremistas cometem massacres, expulsam milhares de pessoas de suas casas, forçam milhões a deixar suas terras, destroem casas, igrejas, incendiam aldeias inteiras, destroem alimentos e produtos agrícolas. 

“ Não podemos ficar indiferentes. Temos de estar conscientes da realidade. O mundo não pode fechar os olhos e não pode negar a perseguição aos cristãos! ”

Assim concluiu o seu discurso Dacholom Datiri e pediu as orações dos presentes pela sua comunidade e pelos cristãos perseguidos. 

O evento foi organizado pela Secretária de Estado para a Ajuda aos Cristãos Perseguidos e para a implementação do Programa de “Hungary Helps”.

A Hungria contribuiu recentemente para a reconstrução da infraestrutura educativa católica - incluindo um seminário - na Nigéria destruída por extremistas, doando um milhão de euros, e também ofereceu bolsas de estudo a estudantes universitários da Nigéria, um grupo dos quais se encontrou com o Papa Francisco em outubro do ano passado em uma audiência geral.

Testemunho de líderes religiosos

Fonte: Secretaria geral da conferência episcopal Húngara.

15 maio 2019, 11:11